Connect with us

O que você está procurando?

Busca

Notícias

Faustão furou fila do transplante? Entenda como funciona a lista de espera

Apresentador passou por transplante de coração apenas 22 dias após ser internado com insuficiência cardíaca

Faustão furou fila do transplante? Entenda como funciona a lista de espera
Faustão furou fila do transplante? Entenda como funciona a lista de espera - Foto: Reprodução Instagram (@faustosilvaofcial)

O apresentador Fausto Silva passou por um transplante cardíaco no último domingo (27) no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Ele foi internado no dia 5 de agosto com um quadro grave de insuficiência cardíaca, e precisou do novo órgão para sobreviver.

O Hospital do Coração (Hcor) esclareceu em nota que a gravidade do caso, o tipo sanguíneo e o tamanho corporal do paciente influencia no tempo de espera pelo órgão. “Em casos menos graves, a espera por um transplante cardíaco pode ser de 12 a 18 meses, em média. Em casos mais graves, esse período pode diminuir para de dois a três meses”, diz trecho do comunicado.

Faustão furou a fila?

No entanto, Faustão foi submetido ao transplante mais rápido do que o previsto inicialmente. O fato chamou a atenção de internautas, que passaram a acusá-lo de furar a fila. O Ministério da Saúde rebateu a acusação em nota, afirmando que “pacientes em estado crítico são atendidos com prioridade, em razão de sua condição clínica”.

Em São Paulo, o tempo de espera médio para um transplante de coração do grupo sanguíneo B (tipo de Faustão) é, oficialmente, de 1 a 3 meses em média. O tempo, no entanto, pode ser menor em casos de urgência, como aconteceu com o apresentador. Portanto, vale destacar que ele não furou a fila do transplante.

De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, haviam 12 pacientes que atendiam aos requisitos para receber o coração. Desses, quatro estavam priorizados, e Faustão ocupava a segunda posição nessa lista. Ainda segundo a pasta, o primeiro paciente teria recusado o órgão.

O que torna alguém prioridade para transplante?

Existem diversos critérios para definir um caso prioritário na fila de transplantes cardíacos do SUS, como a gravidade do caso, tipo sanguíneo, peso, altura, localização e compatibilidade genética, por exemplo.

De acordo com o  Pós PhD em neurociências, especialista em genômica e responsável pelo Centro de Pesquisas e Análises Heráclito, Dr. Fabiano de Abreu Agrela, a genética pode ajudar a entender a gravidade do caso.

“Nossa genética diz tudo sobre nós. Por isso, entendê-la pode ajudar a compreender melhor a complexidade de cada caso, predisposição genética a doenças cardíacas e cardiovasculares, além de indicar compatibilidades genéticas com o novo órgão. Isso pode ser usado como critério para definir quadros mais prioritários”, explica.

Advertisement

Você também vai gostar

Câncer

Estudo de Harvard mostrou que pelo menos 4,6% do total dos casos de câncer terão alguma relação com o excesso de peso e a...

Dor

Ortopedista especialista em joelho e quadril explica como o ácido hialurônico pode atuar em quadros iniciais de desgaste das articulações

Saúde Mental

Mesmo em um mundo conectado, há cada vez mais pessoas solitárias. Veja como combater os efeitos da solidão

Alimentação

A alimentação tem relação direta com a saúde, especialmente no combate ao câncer. Conheça 5 alimentos para evitar a doença