Connect with us

O que você está procurando?

Doenças

Modelo teve anorexia e convulsões devido a dieta restritiva; saiba os riscos

Camila Travaglini conta como foi sua luta contra a anorexia, resultado de uma dieta restritiva e das imposições do mundo da moda

Modelo teve anorexia e convulsões devido a dieta restritiva; saiba os riscos
Modelo teve anorexia e convulsões devido a dieta restritiva; saiba os riscos - Foto: @itamazzutti

Não é novidade que o mundo da moda impõe uma série de desafios e uma intensa pressão sobre os modelos de todo o mundo. No entanto, isso tem sido questionado nos últimos anos. Camila Travaglini, modelo internacional, é um exemplo disto: ela compartilhou sua história de luta contra a anorexia e convulsões decorrentes de uma dieta restritiva.

“Era muito difícil se manter no padrão. Eu cansei de fazer dietas malucas, ficar sem comer e depois lidar com transtornos alimentares”, conta a modelo brasileira, que já desfilou para a DIOR.

Anorexia

A anorexia é um transtorno alimentar que se caracteriza pela busca incessante pelo emagrecimento. Além disso, por uma imagem corporal distorcida, medo extremo da obesidade e a restrição do consumo de alimentos. Esses aspectos resultam em um peso corporal significativamente baixo. Sem tratamento, aproximadamente 10% das pessoas com anorexia grave morrem. Quando os sintomas são leves, porém, as complicações graves são raras.

Relação com a anorexia

A dieta de Camila na verdade não tinha uma base. Desde jovem, comprava inibidores de apetite no mercado paralelo e os tomava associados a dietas extremamente restritivas, como ficar apenas comendo frutas ou bebendo suco, por exemplo.

 “Na nossa época, éramos inclusive instruídas por pessoas próximas a nós no trabalho a tomar detergente antes de comer ou engolir algodão. Eu era viciada em tomar laxantes e tinha que comer o mínimo possível por dia. A rotina me acarretou a longo prazo a desenvolver hipoglicemia e ter crises convulsivas”, lamenta.

Atualmente, Camila mantém uma alimentação equilibrada e aprendeu a se alimentar sem restrições. Ela recebe cuidados médicos do cirurgião geral Dr. Gabriel Almeida, além de contar com o suporte nutricional da equipe do Núcleo GA. Além disso, a modelo também pratica exercícios físicos cinco vezes por semana, como aulas de boxe e musculação, que ela define como terapia. 

O perigo das dietas restritivas

O Dr. Gabriel explica que, além da anorexia, uma dieta restritiva pode causar outros perigos à saúde. Isso porque, devido à falta de carboidratos e proteínas, esse tipo de alimentação pode sobrecarregar os rins e desregular o metabolismo.

Mas não só isso: a restrição alimentar também pode levar à cetoacidose, uma deficiência de insulina no organismo, como ocorreu com Camila. A condição se caracteriza por sintomas como:

  • Hiperglicemia (elevação da glicose no sangue);
  • Vômitos;
  • Dificuldades respiratórias
  • Aumento do colesterol, o que pode provocar doenças cardiovasculares e cálculo biliar;
  • Redução na concentração de hormônios da tireoide, diminuindo o gasto de energia em repouso;
  • Diminuição da frequência cardíaca e pressão arterial;
  • Diminuição dos níveis de potássio, crucial para a função cardíaca e para a construção de músculos;
  • Intolerância ao frio;
  • Queda de cabelo;
  • Fadiga;
  • Dificuldades de concentração;
  • Nervosismo;
  • Constipação ou diarreia;
  • Pele seca;
  • Unhas fracas;
  • Flacidez;
  • Tontura.

Ainda vale destacar que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o ideal é que um adulto saudável de 28 anos consuma cerca de 2 mil calorias por dia. Além disso, uma alimentação saudável deve conter micro e macronutrientes.

Advertisement

Você também vai gostar

Emagrecer

Quem está se propondo a perder peso muitas vezes recupera o antigo número na balança. Conheça algumas dicas para emagrecer de forma definitiva

Doenças

Médica aponta que 50% das pacientes com lipedema também apresentam varizes. Veja como iniciar o tratamento das condições

Doenças

Também conhecida como hipertensão, a pressão alta atinge 32,5% da população adulta brasileira, o que representa 36 milhões de pessoas. Além disso, mais de...

Notícias

O ritmo e a frequência da pulsação fornecem informações sobre a saúde cardíaca. Aprenda a checar em casa