Connect with us

O que você está procurando?

Busca

Doenças

Pele seca? Saiba se é ictiose vulgar

A ictiose vulgar é uma condição rara que deixa a pele extremamente seca. O problema é agravado durante o clima do inverno

Pele seca? Saiba se é ictiose vulgar
Pele seca? Saiba se é ictiose vulgar - Foto: Shutterstock

Apesar de ser uma doença rara, a ictiose vulgar tem um sintoma bastante comum: a pele seca. A condição começa a dar sinais ainda na infância, e o desconforto aumenta durante o clima frio do inverno

Trata-se de uma doença genética, transmitida de pais para filhos. Sua origem se dá a mutação de genes que codificam uma importante molécula responsável pela hidratação e impermeabilidade da pele. 

Por isso, a forma mais eficaz de tratar a doença, é hidratando a pele. Geralmente, cremes que contêm ureia e lactato de amônia, utilizados pelo menos três vezes ao dia, são os que mais auxiliam no tratamento.

“A ictiose vulgar é uma desordem genética da pele que afeta o processo de renovação celular e produção de queratina. Isso resulta em uma pele espessada e com aspecto escamoso, muitas vezes comparado às escamas de peixe. Embora ela raramente seja letal, pode causar muito desconforto devido à secura intensa, fissuras e descamação da pele”, explica a dermatologista Dra. Natasha Crepaldi.

Sintomas de ictiose vulgar

Os sintomas da doença são a pele extremamente seca e com aparência de escamas. Esses sinais são mais comuns nas pernas, mas podem ir também para os braços, mãos e outras partes do corpo. Além disso, em alguns casos pode também ocorrer o espessamento da pele. Durante o início da infância, esses sintomas já aparecem e a pele chega a ficar áspera, principalmente no inverno – que os meses ficam mais secos e frios.

Tratamento

Segundo a Dra. Natasha Crepaldi, o tratamento depende das manifestações clínicas da doença, geralmente envolve a aplicação de emolientes e hidratantes para suavizar a pele seca, até mesmo retinóides (medicação da classe da isotretinoína, usada para acne) que são medicações que atuam na regularização do ciclo celular da pele. 

No caso, é necessário evitar a desidratação da pele e a formação de escamas, além de investir na melhora da aparência da pele. Conforme a dermatologista, os cremes conhecidos como ceratolíticos são os que possuem ureia e ácido lático, que auxiliam a quebrar as escamas grossas e conseguem desenvolver a descamação da pele.

Advertisement

Você também vai gostar

Insônia

Alguns mitos e desinformações atrapalham a rotina de sono dos recém-nascidos, o que é um desafio para a família e também para o bebê

Alimentação

Especialista em nutrologia explica as diferenças entre a doença celíaca, a intolerância ao glúten e a alergia ao trigo. Saiba os sintomas

Dor

Ortopedista explica que nem sempre uma dor no joelho exige correção cirúrgica. No entanto, em alguns casos o paciente deve passar por cirurgia

Beleza

Dermatologista explica técnica slow care, focada na beleza natural e na saúde integral do paciente