Connect with us

O que você está procurando?

Notícias

Postar muitas selfies é sinal de narcisismo, afirma estudo

Estudo reforça tese de neurocientista luso-brasileiro. Entenda o que é o narcisismo e quando ele se torna um transtorno

Postar muitas selfies é sinal de narcisismo, afirma estudo
Postar muitas selfies é sinal de narcisismo, afirma estudo - Foto: Shutterstock

As selfies se tornaram muito comuns em nosso dia a dia. Tanto que hoje é até difícil encontrar alguém que não esteja habituado a tirar uma foto de si mesmo com o celular. Seja com os amigos, a família, ou para compartilhar um momento especial. No entanto, um estudo recente publicado pela revista científica The Open Psychology sugere que postar selfies com muita frequência é um indicativo de narcisismo.

O estudo, realizado por pesquisadores da Universidade de Milão e da Universidade de Swansea, analisou a personalidade de 74 participantes com idades entre 18 e 34 anos. A análise teve duração de quatro meses. 

Eles observaram o uso de redes sociais por parte do grupo. A conclusão mostrou que os que usaram as redes para postagens visuais apresentaram cerca de 25% mais traços de narcisismo. Aliás, alguns dos participantes demonstraram sinais do Transtorno de Personalidade Narcisista (TPN).

Os resultados também mostraram que os usuários de redes sociais prioritariamente verbais, como o Twitter, por exemplo, não apresentaram os mesmos sinais.

Estudo reforça a tese de neurocientista luso-brasileiro

Os resultados do estudo ajudam a reforçar a perspectiva defendida pelo Pós PhD em neurociências, Dr. Fabiano de Abreu Agrela. O especialista descreveu a tese em seu artigo “Circuito da incoerência: a sociedade brasileira sofre de perturbações das personalidades dramáticas”, publicado na revista Cognitionis.

“Orgulho exacerbado, vaidade extrema, falta de educação, falta de compaixão, necessidade de fama sem argumento e coerência, investimento em compra de likes e seguidores nas redes sociais com uma ‘falsa popularidade’, exibicionismo, ostentação, incoerência nos argumentos e arrogância. Todos estes são comportamentos derivados do narcisismo patológico e da necessidade de busca da felicidade como se esta estivesse cada vez mais inalcançável”, destaca o pesquisador e neurocientista.

“Em nossa sociedade, determinada pela cultura social, tecnológica, temporal, educacional, entre outras, estamos vivendo a fase das personalidades dramáticas. Histriônica, Narcisista, Limítrofe, Antissocial e Borderline, são algumas delas. Déficits nas funções de atenção, memória, linguagem, abstração, planejamento/sequenciamento de comportamento e no desempenho neurocognitivo são cada vez mais comuns nos consultórios”, afirma o estudo. 

O que é o Transtorno de Personalidade Narcisista?

O Transtorno de Personalidade Narcisista (TPN) é um distúrbio psicológico. Ele se caracteriza por uma visão inflada e grandiosa de si mesmo, falta de empatia pelos outros e busca constante por atenção e admiração. Indivíduos com TPN geralmente acreditam que são superiores aos outros e podem exibir comportamentos arrogantes, egoístas e manipulativos. Eles podem ter dificuldade em reconhecer as necessidades e emoções dos outros e podem ter relações interpessoais problemáticas. 

O TPN pode ser causado por fatores genéticos e ambientais, incluindo traumas na infância, seu tratamento geralmente envolve psicoterapia, embora muitas vezes possa ser difícil convencer alguém narcisista a buscar ajuda e fazê-lo entender que possui o transtorno.

Advertisement

Você também vai gostar

Notícias

Colocado através de cirurgia, o implante coclear é indicado para pacientes com perda auditiva severa à profunda

Notícias

Compressões na coluna vertebral podem pode afetar a funcionalidade dos nervos, levando a sensação de formigamento nas mãos e nos dedos

Doenças

A sarcopenia diminui a massa muscular, a força e, com isso, a qualidade de vida de pessoas idosas - especialmente as sedentárias

Doenças

Casos de AVC e infarto aumentam entre 20% e 30% respectivamente durante o clima frio. Veja como se proteger no inverno