Connect with us

O que você está procurando?

Doenças

Saiba como evitar 5 doenças mais frequentes do verão

Especialistas apontam quais os principais sintomas e formas de prevenir as doenças mais comuns do verão. Saiba como se cuidar na estação

Saiba como evitar as 5 doenças mais frequentes no verão
Saiba como evitar as 5 doenças mais frequentes no verão - Foto: Shutterstock

Durante o verão algumas doenças se tornam mais recorrentes, o que exige cuidados especiais com a saúde. Especialistas destacam as principais enfermidades da estação, e revelam como se prevenir dos diferentes problemas.

As 5 doenças mais frequentes do verão

Desidratação

A água tem papel fundamental na termorregulação do nosso organismo, ela faz isso através da transpiração. O  Dr. Gustavo Patury, cirurgião do aparelho digestivo e cirurgião bariátrico, explica que, ao liberar água e sais minerais através do suor, conseguimos manter nossa temperatura corporal num nível ideal – entre 35,5 e 37,5 graus. “Com as temperaturas elevadas do verão essa perda é maior, gerando maior necessidade de reposição de água e eletrólitos”, completa.

O especialista destaca que nessa época do ano é ainda mais importante caprichar na hidratação. “Não só tomando água, mas consumindo frutas com alta concentração de água e baixo índice glicêmico como abacaxi, laranja, mamão, melancia e melão, por exemplo, – elas possuem mais de 70% de água em sua composição”, aponta o médico.

Durante o verão, também é comum aumentar o consumo de bebidas alcoólicas. No entanto, é importante ter cuidado. “O álcool acaba desidratando a pessoa, pois age diminuindo a produção do hormônio antidiurético, responsável por regular a perda de água do organismo. A redução deste hormônio antidiurético faz com que eliminemos mais água do mesmo modo. Quando o álcool é absorvido pelas células da parede intestinal, ele acaba atrapalhando a absorção de água”, explica o Dr. Gustavo.

Insolação

A insolação ocorre quando o organismo atinge temperaturas corporais acima dos 40ºC, o que pode ocorrer tanto na exposição solar ou na permanência em um ambiente muito quente, explica a dermatologista Dra. Meire Gonzaga. “Isso desregula todo o sistema de equilíbrio do organismo, e o corpo perde a capacidade de regular os líquidos”, afirma.

Conforme a profissional, a nossa temperatura de equilíbrio é em torno de 36,5 e 37 graus, que é quando o nosso metabolismo todo funciona normalmente. Então, quando a temperatura corporal atinge graus mais altos, é comum o paciente apresentar os seguintes sintomas: tontura, mal-estar, náusea, vômito, febre. Além disso, em alguns casos, o quadro acompanha queimaduras solares na área externa da pele. 

A especialista alerta que, quanto mais queimaduras solares tivermos durante a vida, maior é a nossa chance de ter câncer de pele. Por isso, as medidas de prevenção são tão importantes. Ela aponta as principais formas de se proteger de uma insolação:

  • Utilize filtro solar 30 minutos antes da exposição. Tire toda a roupa e passe filtro em todas as regiões do corpo;
  • Mantenha a hidratação oral;
  • Reaplique o filtro solar a cada duas horas ou a cada mergulho;
  • Use medidas de proteção mecânica, como bonés, viseiras, guarda-sóis, óculos de sol e roupas com proteção ultravioleta, por exemplo;
  • Evite ficar exposto nos horários de maior incidência da radiação solar (entre as 10h e 14h).

Dengue

A dengue geralmente aparece no verão, quando esquenta ou chove muito. Por isso, durante a estação mais quente do ano, é ainda mais importante evitar deixar água parada.  O infectologista Dr. Jorge Paez elenca alguns dos sintomas clássicos de dengue como alerta sobre quando procurar orientação médica:

  • Febre alta de início abrupto;
  • Cefaleia (dor de cabeça);
  • Mialgia (dor muscular);
  • Prostração (fraqueza);
  • Artralgia (dor nas articulações);
  • Astenia (cansaço generalizado);
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Sangramentos, entre outros sintomas.

Para se proteger da temida picada do mosquito da dengue, o Dr. Jorge ressalta que a prevenção ainda é a melhor forma de controlar a transmissão. “Temos que manter o domicílio limpo, eliminar os possíveis criadouros, sempre mantendo os reservatórios de água parada com proteção e evitando outros possíveis acúmulos de água parada, como em vasos de plantas”, afirma. 

Além disso, é preciso dar destino correto a objetos que acumulam água, como potes, garrafas e pneus que possam servir como criadouro. Repelentes, inseticidas, telas em janelas ou portas em áreas com alta circulação de mosquitos também são eficazes no combate ao inseto, completa o especialista.

Problemas de pele

Com dias mais quentes e úmidos do verão, é preciso redobrar a atenção para evitar problemas de pele. Isso porque a umidade e o calor juntos aumentam a proliferação dos fungos e bactérias, causando algumas patologias, como micoses, herpes, brotoejas, acne solar, foliculite e impetigo, aponta a Dra. Carla Góes, médica cirurgiã especialista em dermatologia.

É comum que a micose apareça nessa época do ano. Pode acontecer nas unhas e no couro cabeludo, que são os lugares com mais umidade. As micoses mais comuns são causadas por candidíase, pitiríase versicolor e tinea, os principais fungos superficiais.

“É importante que exista uma higiene maior nessa época do ano, principalmente para não termos acúmulo de suor em regiões como a virilha, axila, nos pés e no couro cabeludo”, afirma a especialista.

Além disso, a exposição solar excessiva pode causar queimaduras, envelhecimento precoce e câncer de pele. O surgimento da herpes labial também é uma consequência. Portanto, cuidados como diminuir a exposição ao sol e usar proteção solar são fundamentais para evitar esses quadros

Conjuntivite

A conjuntivite está entre as doenças mais frequentes do verão, especialmente por conta do uso de piscinas, protetor solar e exposição prolongada ao sol e ao ar condicionado. A Dra. Kemi Salami, médica oftalmologista na Clínica a Beleza do Olhar, recomenda algumas dicas para evitar o contágio:

  • Evite tocar os olhos;
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal;
  • Evite aglomerações;
  • Evite contato de filtro solar com os olhos.

“Os sintomas mais comuns da conjuntivite são olhos vermelhos e lacrimejamento, fotos sensibilidade, pálpebras inchadas, prurido (coceira), secreção e sensação de areia nos olhos”, aponta a médica. No caso de contrair conjuntivite durante uma viagem, a oftalmologista recomenda alguns cuidados especiais:

  • Faça compressas geladas com água filtrada e algodão ou gaze descartáveis;
  • Use lágrimas artificiais;
  • Troque de toalhas e roupas de cama com frequência;
  • Evite uso de maquiagem;
  • Use óculos de sol e lembre-se de lavá-lo com água e sabão neutro diariamente.
Advertisement

Você também vai gostar

Fitness

Se você treina e ainda consome refrigerante regularmente, veja os prejuízos que a bebida está causando ao seu organismo

Saúde Bucal

Mesmo com dentes de leite, as crianças com bruxismo devem passar pelo tratamento, uma vez que a condição pode causar problemas mais graves

Sem categoria

O glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível no mundo. Entenda a importância do diagnóstico precoce

Saúde Bucal

A cárie oculta costuma surgir em locais onde a escova de dentes e o fio dental não alcançam. Veja como identificar o problema