Connect with us

O que você está procurando?

Doenças

Sedentarismo na juventude aumenta risco de doenças na vida adulta

Cardiologista alerta para as consequências do sedentarismo ao longo da vida, como o maior risco de doenças cardiovasculares

Sedentarismo na juventude aumenta risco de doenças na vida adulta
Sedentarismo na juventude aumenta risco de doenças na vida adulta - Foto: Shutterstock

Não é novidade que praticar exercícios físicos regularmente é um dos pilares para uma vida mais saudável. Mas, no mês das crianças, vale destacar a importância de se manter longe do sedentarismo desde cedo, já que este é um dos principais fatores de risco para o surgimento de doenças, principalmente as enfermidades do sistema cardiovascular.

Sedentarismo, sobrepeso e doenças cardiovasculares

Uma pesquisa interna do Hospital do Servidor Público (HSPE) em São Paulo, conduzida pela médica do esporte Dra. Silvana Vertematti, mostrou um aumento no número de adolescentes que não praticam atividades físicas. Dos pacientes atendidos no local, entre 12 e 18 anos, 86% são considerados sedentários.

Esse número pode ser uma explicação para o que já levantou o Ministério da Saúde: entre 2012 e 2022, a porcentagem de jovens de 10 a 19 anos diagnosticados com sobrepeso, obesidade ou obesidade grave aumentou de 21% para 31%.

“Fazer exercício não é algo meramente estético, é sobre saúde, especialmente para o preparo do corpo para o envelhecimento, uma vez que doenças cardiovasculares são a principal causa de mortes no mundo”, destaca o médico cardiologista Dr. Rizzieri Gomes.

De acordo com Organização Panamericana da Saúde (Opas), mais pessoas morrem anualmente por essas enfermidades do que por qualquer outra causa. Os dados estimam que 17,9 milhões de pessoas morreram por esse motivo em 2016, representando 31% de todas as mortes em nível global. No Brasil o cenário é o mesmo, e as doenças cardiovasculares representam a principal causa de morte no país.

Pacientes cada vez mais jovens

O cardiologista alerta para uma redução na idade média de pacientes cardiovasculares. “Ultimamente a gente tem percebido um aumento em pacientes mais jovens de doenças cardiovasculares, como a hipertensão. Hoje, a faixa mais prevalente de novos hipertensos é entre trinta e quarenta anos; antigamente, isso era visto em pessoas sexagenárias”, analisa o Dr. Rizzieri. 

“Atualmente, há uma precocidade de doenças cardiovasculares, o aumento do risco de obesidade e, consequentemente, de diabetes ou hipertensão arterial precoce, dois dos fatores de risco principais para as piores doenças cardiovasculares, que são infarto e AVC”, alerta.

O especialista vê com bons olhos as campanhas de conscientização focadas nos jovens. “É importante ter esse senso crítico sobre a questão e incentivar a adoção de hábitos mais saudáveis e a prática de atividades físicas, pois esse comportamento juvenil adolescente terá como resultado mais pacientes adultos doentes, mais dependentes de tratamento medicamentoso e mais dependentes de atendimento hospitalar.

Como estimular os jovens desde cedo

O médico dá algumas sugestões para os pais e responsáveis estimularem os jovens a abandonar o sedentarismo. Confira:

  • Sugerir uma atividade que seja prazerosa para eles. Nem todos os adolescentes gostam de esportes tradicionais, por isso é importante encontrar alguma atividade que o jovem aprecie e sinta-se bem fazendo.
  • Estabelecer metas realistas. Ter objetivos alcançáveis pode ajudar a manter os adolescentes motivados e realizados, enquanto os irrealistas podem fazê-los desistir logo no começo.
  • Fazer da atividade física uma rotina. Incorporar os exercícios no dia a dia do adolescente, seja caminhando até a escola ou fazendo uma caminhada após o jantar, por exemplo.
  • Estimular pelo exemplo. Os adolescentes são mais propensos a se envolver em atividades físicas se enxergarem nos adultos um modelo positivo.
  • Incentivar a participação em esportes de alguma comunidade à qual o jovem pertença, como a escola, condomínio ou vizinhança. Isso porque participar de uma equipe ou clube pode proporcionar um senso de pertencimento e incentivar a prática regular de exercícios.
  • Fornecer equipamento adequado. Além de diminuir o risco de lesões e machucados, ter o equipamento certo pode fazer uma grande diferença na disposição do adolescente para se exercitar.
  • Elogiar o esforço, não apenas o resultado. Reconhecer o comprometimento do adolescente com a atividade física pode ajudar a consolidar autoestima e incentivar a continuar se exercitando.
  • Tornar a atividade física divertida. Jogos, competições amigáveis e atividades ao ar livre podem tornar o exercício mais divertido e atraente.
  • Incentivar a prática com amigos. Os adolescentes são mais propensos a se exercitar se puderem fazê-lo com o seu grupo de amizades.
  • Ensinar sobre os benefícios do exercício para a saúde mental e física. Compreender os benefícios do exercício pode motivar os adolescentes a se manterem ativos.
Advertisement

Você também vai gostar

Fitness

Se você treina e ainda consome refrigerante regularmente, veja os prejuízos que a bebida está causando ao seu organismo

Saúde Bucal

Mesmo com dentes de leite, as crianças com bruxismo devem passar pelo tratamento, uma vez que a condição pode causar problemas mais graves

Sem categoria

O glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível no mundo. Entenda a importância do diagnóstico precoce

Saúde Bucal

A cárie oculta costuma surgir em locais onde a escova de dentes e o fio dental não alcançam. Veja como identificar o problema