Nutróloga alerta para 4 tipos de doenças que a obesidade pode provocar

No Dia Mundial da Obesidade, entenda os riscos do excesso de gordura corporal

A obesidade é uma doença crônica
A obesidade é uma doença crônica - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 04/03/2022 às 08:00
Atualizado às 08:00

Facebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Hoje, 04 de março, é o Dia Mundial da Obesidade. Uma data simbólica para alertar a população sobre os riscos que a condição pode provocar para a saúde e promover uma maior conscientização diante da importância de adotar hábitos saudáveis durante a vida. Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), a obesidade é considerada uma doença crônica e, portanto, precisa de tratamento.

“As principais causas para esse problema incluem uma alimentação desbalanceada, principalmente rica em açúcar e gorduras. Além do sedentarismo. Ou seja, a falta de prática regular de atividades físicas”, conta a médica nutróloga Dra. Marcella Garcez, professora e diretora da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).

De acordo com dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 26,8% dos brasileiros com mais de 20 anos de idade eram obesos em 2019. Enquanto 61,7% da população adulta brasileira estava com excesso de peso. E, infelizmente, a tendência é que esses números tenham piorado desde o início da pandemia, visto que as pessoas começaram a passar mais tempo em casa e, consequentemente, adotaram hábitos mais sedentários – que favorecem o acúmulo de gordura corporal.

“Dados – tanto oficiais, quanto observacionais – mostram que as pessoas, ao invés de melhorarem o seu consumo alimentar, passaram a comer muito pior. Nós observamos na nossa clínica, pessoas aumentando grandes quantidades de peso e transformando-se em obesas ao longo da pandemia”, revela a Dra. Garcez.

Doenças que a obesidade pode provocar

Dessa maneira, engana-se quem pensa que a obesidade é apenas um problema estético, ou que dificulta a realização de algumas tarefas do dia a dia. Ao contrário do que esses indivíduos imaginam, a condição pode provocar diversas outras doenças graves.

Por isso, e para alertar as pessoas sobre os riscos que a obesidade pode causar, listamos – com a ajuda da Dra. Garcez – quatro tipos de doenças graves que podem se desenvolver a partir do acúmulo excessivo de gordura corporal. Confira:

1 – Cardiovasculares. “O excesso de gordura favorece o acúmulo de placas de colesterol nas artérias coronárias responsáveis por irrigarem o coração, aumentando a predisposição para condições como hipertensão, infarto, insuficiência cardíaca e tromboembolismo”, alerta a médica.

2 – Renais. “Estar acima do peso também pode sobrecarregar os rins, o que, somado ao aumento da pressão arterial, faz com que o órgão perca progressivamente suas funções, deixando de filtrar o sangue e produzir hormônios. O que causa, consequentemente, a doença renal crônica”, diz a nutróloga.

3 – Hepáticas. “A doença hepática gordurosa não alcóolica é outra doença comumente observada em pessoas obesas, sendo caracterizada pelo acúmulo de gordura nas células do fígado, o que, se não tratado, pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares, esteatoepatite, além de levar à fibrose e ao desenvolvimento de cirrose hepática”, conta a Dr. Garcez.

4 – Cancerígenas. “Pessoas obesas também possuem maiores chances de desenvolver câncer, já que o acúmulo de gordura estimula a produção de hormônios envolvidos no desenvolvimento de células cancerígenas”, explica.

“Evite consumir ‘junk foods’ e alimentos industrializados e ricos em sal, açúcar e gorduras. No lugar, aposte na ingestão de frutas, verduras, legumes, grãos, alimentos integrais e carnes magras. Incluir atividades físicas na rotina é outra boa maneira de afastar os diversos problemas de saúde relacionados ao sobrepeso. O ideal é que você pratique exercícios físicos pelo menos três vezes por semana, de preferência caminhadas, corridas, natação e ciclismo, que estão entre as práticas mais simples e eficientes para o controle do peso”, finaliza a Dra. Garcez.

Leia também