Connect with us

O que você está procurando?

Emagrecer

7 dietas para emagrecer que realmente funcionam

Perder peso sem passar fome é o segredo para alcançar bons resultados de maneira rápida, fácil e inteligente

Dietas para emagrecer
Dietas para emagrecer - Foto: Shutterstock

Quando uma pessoa busca por dietas para emagrecer, geralmente, ela quer algo que ofereça resultados rápidos. No entanto, é necessário saber que o único fator que será realmente determinante para a queima de gordura é o déficit calórico. Ou seja, você precisa gastar mais energia do que consome. Dessa maneira, seu organismo usará o estoque de gordura armazenado no corpo para suprir essa falta e, gradativamente, você perderá peso.

Mas, o grande problema é que algumas dietas para emagrecer ficaram famosos por oferecerem um déficit calórico exagerado ao organismo. O que pode ser extremamente perigoso para a saúde e praticamente insustentável à longo prazo. Você, literalmente, passa fome, queima gordura e depois recupera tudo de novo, pois não consegue se manter na dieta rigorosa por muito tempo.

Por isso, o segredo para conseguir emagrecer de maneira saudável e não engordar novamente é traçar um plano alimentar sustentável. Passar fome e comer alimentos que não te agradam dificilmente vai funcionar. Dessa forma, separamos 7 tipos de dietas para emagrecer que realmente funcionam. Confira:

7 dietas para emagrecer

1. Dieta mediterrânea. “Ela tem como base os alimentos in natura, como frutas, legumes, verduras e gorduras boas – azeite e oleaginosas, por exemplo. Além do consumo adequado de proteínas como leite, queijos e frutos do mar. Já a ingestão de alimentos industrializados e embutidos deve ser evitada”, explica a nutricionista Tatiana Amalfi.

2. Dieta funcional. “Os alimentos funcionais são ricos em nutrientes importantes, como vitaminas, minerais, fibras e antioxidantes. Esses nutrientes ajudam a manter o corpo saudável e funcionando corretamente, apoiando funções vitais como o crescimento, o desenvolvimento e a reparação celular”, explica a nutricionista funcional Cris Ribas Esperança.

3. Dieta saborosa. “A chave para superar o tédio alimentar é preparar refeições saborosas, saudáveis e variar os alimentos e a forma de preparo”, indica Adriana Stavro – Nutricionista Mestre pelo Centro Universitário São Camilo.

4. Dieta acessível. Em todas as estações, determinados grupos de frutas, legumes e verduras ficam mais baratos por conta das condições climáticas favoráveis, que aumentam o volume de produção. Isso, sem falar que esses produtos ficam ainda mais saborosos quando consumidos na época de colheita.

5. Dieta low carb. Além de contribuir para o emagrecimento, ela também proporciona excelentes benefícios à saúde. No entanto, sem um acompanhamento nutricional, essa estratégia alimentar pode não render os resultados esperados.

6. Dieta mind. A base da alimentação na dieta mind é aquilo que chamamos de “comida de verdade”, ou seja, alimentos in natura, como frutas, legumes, vegetais, oleaginosas, peixes e aves. Dessa forma, há uma restrição para alimentos ultraprocessados e para aqueles da chamada “caloria vazia”, que geralmente não apresentam nutrientes e há excesso de açúcar. 

7. Jejum intermitente. “Quem opta por essa dieta precisa ter em mente que ela reduz os níveis de insulina, contribui para perder gordura e traz uma qualidade de vida muito maior devido à restrição calórica imposta pelo jejum”, afirma o Dr. Guilherme Corradi, médico especialista em medicina do esporte e membro titular da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte.

Advertisement

Você também vai gostar

Notícias

Estudo mostrou que 88% das pessoas de todo o mundo têm menos vitamina D no corpo do que o recomendado, o que causa diversos...

Doenças

Marrone, da dupla com Bruno, foi diagnosticado com estágio avançado de glaucoma em ambos os olhos. Entenda a gravidade

Doenças

O ceratocone está entre as principais motivações para o transplante de córnea – tanto em adultos, como em crianças

Doenças

As baixas temperaturas e outras características da estação diminuem a imunidade e aumentam a circulação de vírus, como da conjuntivite