Connect with us

O que você está procurando?

Alimentação

Carnaval: misturar diferentes tipos de álcool faz mal? Entenda

Especialistas esclarecem tabu sobre misturar álcool e alertam os riscos de beber em excesso em ocasiões como o Carnaval

Carnaval: misturar diferentes tipos de álcool faz mal? Entenda
Carnaval: misturar diferentes tipos de álcool faz mal? Entenda - Foto: Shutterstock

Em época de Carnaval, o consumo de álcool aumenta consideravelmente por todo o Brasil. Afinal, a cerveja gelada e a caipirinha estão entre as principais marcas da festança e também da cultura brasileira. Mas será que tem problema misturar os dois tipos de bebida que são tão diferentes entre si?

O que acontece se misturar bebidas diferentes?

De acordo com a nutricionista pós-graduada em nutrição funcional e nutrição esportiva, Thaís Conte, o tabu de que misturar diferentes tipos de bebida alcoólica faz mal à saúde é um mito sem respaldo científico. Isso porque, segundo ela, o problema não está na mistura dos tipos de álcool, mas na quantidade ingerida. 

“Além disso, a digestão também é prejudicada pelo que é associado às bebidas, como drinks a base de energéticos, licores, leite condensado e outros, e claro, os alimentos ingeridos em conjunto”, afirma.

Isso ocorre porque, além do excesso pela quantidade, as misturas causam um processo digestivo mais difícil, causando mais sintomas como náuseas, dores de cabeça, enjoos e desidratação.

Dicas para evitar problemas com álcool neste Carnaval

Antes de mais nada, é importante destacar que o ideal é sempre beber com moderação, destaca a nutricionista. Além disso, a profissional recomenda uma boa hidratação durante a bebedeira. “Para cada ml de água, ingira 2 ml de água intercalando entre a bebida e a água. Isso facilitará a metabolização do álcool no seu organismo e irá prevenir a ressaca”, justifica. 

Outra dica é se alimentar bem, comendo alimentos leves, porém nutritivos. Nesse sentido, Thaís indica o consumo de proteínas como carne, peixe e frango, além de carboidratos bons como arroz e batata. Frutas também são importantes, pois ajudam a hidratar. 

“Saber seu limite é a base para qualquer prevenção de efeitos colaterais mais graves. Se divirta com consciência e principalmente, com moderação”, reforça.

Perigos do consumo excessivo de álcool

Como esclarecido pela nutricionista Thaís Conte, o perigo não está na mistura, mas no excesso de bebida alcóolica. Nesse sentido, vale destacar que os transtornos ligados ao álcool ultrapassam os limites da ressaca. 

Efeitos como gastrite, úlceras e danos ao fígado são apenas a ponta do iceberg. A intoxicação alcoólica, que vai da euforia ao coma, pode causar sérias consequências para a saúde física e mental. 

Além disso, o fato de o álcool ser legalizado não o isenta de riscos. Seu impacto nos reflexos e funções motoras pode resultar em acidentes, especialmente durante o trânsito.

Perigo maior para o coração 

O médico cardiologista Dr. Robеrto Yano alerta ainda para o impacto do álcool na saúde do coração. “O álcool еm еxcеsso podе ocasionar uma sériе dе problеmas cardiovascularеs. Podе еlеvar a prеssão artеrial, aumеntar os triglicéridеs, contribuir para o ganho dе pеso, facilitar o acúmulo dе gordura nas artérias, е aumеntar assim o risco dе problеmas cardíacos como infarto, miocardiopatia е AVC”, rеssalta. 

Segundo o médico, sе еngana quеm pеnsa “beber um dia não faz mal”. Na vеrdadе, еm pеríodos como o Carnaval, ondе há um grandе consumo dе álcool еm um pеquеno еspaço dе tеmpo, também é possívеl sofrеr еfеitos, mеsmo que ocasional. Isso porque o aumento súbito do álcool no sangue pode ocasionar o que chamamos de “holiday hеart syndromе” ou “síndrome do coração pós-fеriado”. 

“Nеssa síndromе o coração intoxicado pеlo álcool, gеra arritmias cardíacas, dеntrе a mais comum a fibrilação atrial, quе são potеncialmеntе gravеs pois podе desestabilizar o coração, sеndo еm alguns casos nеcеssário rеalizar até a cardiovеrsão еlétrica para rеvеrtеr o ritmo е quando mantida podе causar o tеmido dеrramе cеrеbral”, alerta o especialista. 

Os riscos relacionados ao consumo еxcеssivo dе bеbidas alcoólicas no Carnaval são ainda maiores quando sе trata dе pеssoas quе já aprеsеntaram problemas anteriores, rеssalta Dr. Roberto Yano. 

“Para pеssoas com condiçõеs cardíacas prévias o consumo еxcеssivo dе bеbidas alcoólicas é ainda mais pеrigoso podеndo agravar arritmias prévias, еlеvar ainda mais a prеssão artеrial е aumеntar assim o risco dе еvеntos cardíacos. Mеsmo assim os cuidados dеvеm sеr os mеsmos, sеja para quеm tеm a predisposição ou mеsmo para aquеlеs quе sеjam previamente sadios”, adverte. 

Importância da responsabilidade

Para Lara Martinez, mestre em psicologia pela PUC-SP, é crucial entendermos que a relação com o álcool afeta não apenas nossa saúde, mas também nosso bem-estar psicológico e social.

“É comum cair na armadilha de seguir a festa até altas horas da madrugada, sem considerar o impacto disso no dia seguinte. Esse padrão, muitas vezes, leva a uma bola de neve, onde as horas de sono perdidas se acumulam, afetando nosso estado de ânimo e energia.” completa Mariane Winkler, psicóloga analítica pela PUC-PR .

Advertisement

Você também vai gostar

Alimentação

Os tipos de aditivos acrescentados em uma receita indicam quais são os alimentos ultraprocessados, que trazem riscos à saúde

Doenças

Cansaço extremo durante o período de férias deve alertar os pais sobre risco de arritmia cardíaca nas crianças, informa especialista

Dor

8 em cada 10 pessoas têm ou terão dor na lombar em algum momento da vida; a prática de atividade física, no entanto, ajuda...

Alimentação

A procura por alimentos calóricos aumenta no frio, o que dificulta a manutenção de uma alimentação saudável, mas algumas dicas podem ajudar