Connect with us

O que você está procurando?

Busca

Sem categoria

Combate ao fumo: veja alguns efeitos desconhecidos do tabagismo na saúde

Desde problemas na coluna ao câncer de bexiga: o tabagismo pode acarretar em sérios e irreversíveis danos na saúde

Combate ao fumo: veja alguns efeitos desconhecidos do tabagismo na saúde
Combate ao fumo: veja alguns efeitos desconhecidos do tabagismo na saúde - Foto: Shutterstock

O Dia Nacional de Combate ao Fumo (29/08) surgiu em 1986, sob criação do Instituto Nacional de Câncer (Inca). O objetivo da data é reforçar as ações nacionais de sensibilização e mobilização da população para os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabagismo. 

“Os efeitos do tabagismo vão muito além do que é possível perceber”, alerta o médico cardiologista Dr. Rizzieri Gomes. “Costuma-se focar mais nos danos físicos, mas existem danos familiares, emocionais e uma série de outros. Isso porque a nicotina é uma das drogas que mais causa dependência no mundo. Neste dia, quem puder levar informação a um amigo, um parente ou mesmo um conhecido, pode estar ajudando esse fumante”, afirma.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o tabaco mata mais de 8 milhões de pessoas por ano. Mais de 7 milhões dessas mortes resultam do uso direto deste produto, enquanto cerca de 1,2 milhão é o resultado de não-fumantes expostos ao fumo passivo.

O tabagismo afeta diretamente a coluna

Entre os milhares de malefícios que o cigarro pode trazer, um dos prejuízos pode atingir a coluna.  “O tabagismo a médio e longo prazo, induz um enfraquecimento do osso, o que chamamos de osteoporose. Isso por si só, torna a coluna mais vulnerável à fraturas. Além disso, várias outras substâncias promovem lesões diretas aos elementos de sustentação, aos ligamentos, dos tendões e ao disco intervertebral”, alerta o Dr. Guilherme Rossoni, neurocirurgião e especialista no tratamento de doenças da coluna e dor crônica.

Além disso, o tabagismo também promove o fechamento dos vasos,  causando microtromboses. Segundo o médico, a condição é chamada de vasculopatia, em que pequenos vasinhos que vão irrigar essas estruturas, que acabam sendo danificadas. “Como consequência, dificulta a cicatrização, retarda o processo de regeneração e a chegada de nutrientes para que a articulação se torne mais sadia ou consiga manter a saúde ao longo dos anos”, explica.

Fumar também pode causar câncer de bexiga

O câncer de bexiga é o segundo tipo de câncer mais frequente do trato do urinário. Ele pode ser consquência de fatores como idade e raça e exposição a diversos compostos químicos. No entanto, seu principal fator de risco é o tabagismo. Segundo o Inca, o hábito de fumar triplica as chances de desenvolver a doença, e está presente em cerca de 35% a 50% dos pacientes com a neoplasia.

Isso ocorre porque, depois que a fumaça entra pela boca junto com suas cerca de 70 substâncias carcinogênicas, ela é absorvida pelos pulmões. Em seguida, cai na circulação sanguínea. Como o sangue é filtrado pelos rins, os compostos químicos acabam indo para a urina. Já que o líquido fica na bexiga até o corpo eliminá-lo, suas paredes permanecem em contato com esses elementos por bastante tempo, favorecendo a doença. 

“Mas, é importante esclarecer que a ocorrência desse tipo de tumor, que é duas vezes mais comum em pessoas da raça branca do que da negra, tem causa qualitativa e não quantitativa. Ou seja, não é relevante apenas o hábito em si ou o número de cigarros, mas o indivíduo precisa ter uma predisposição para desenvolver a doença”, diz o urologista Fernando Franco Leão, do Hospital Israelita Albert Einstein. 

Outros impactos do tabagismo na saúde

Além de problemas na coluna e do favorecimento para o câncer de bexiga, o tabagismo também pode facilitar o surgimento de uma série de outras enfermidades. Conforme a Dra. Luciana Defendi Navarrete, médica de Saúde da Família responsável pelo Grupo de Tabagismo da UBS Jardim São Bento, o vício está relacionado ao desenvolvimento de aproximadamente 50 patologias.

“Fumar diminui consideravelmente a expectativa de vida de uma pessoa. Isso porque o cigarro possui substâncias que reduzem a quantidade de captação de oxigênio no organismo”, alerta. A especialista explica ainda que o tabaco aumenta os riscos de infarto e doenças cardiovasculares, pois propicia a formação de ateromas. Isto é, placas compostas por lipídeos e tecido fibroso nas artérias.

Além disso, o cigarro também é uma importante influência para o surgimento da maioria dos cânceres e doenças pulmonares. É o caso, por exemplo, da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e o enfisema pulmonar. A médica cita ainda a halitose, ou mau hálito, que pode ser agravada pelo hábito de fumar, causando situações desconfortáveis e constrangedoras.

Advertisement

Você também vai gostar

Dor

Ortopedista especialista em joelho e quadril explica como o ácido hialurônico pode atuar em quadros iniciais de desgaste das articulações

Saúde Mental

Mesmo em um mundo conectado, há cada vez mais pessoas solitárias. Veja como combater os efeitos da solidão

Alimentação

A alimentação tem relação direta com a saúde, especialmente no combate ao câncer. Conheça 5 alimentos para evitar a doença

Câncer

A colonoscopia é o principal exame para diagnosticar o câncer de intestino, e é recomendada mesmo na ausência de sintomas