Connect with us

O que você está procurando?

Saúde Bucal

Especialista explica como identificar e tratar uma cárie oculta

A cárie oculta costuma surgir em locais onde a escova de dentes e o fio dental não alcançam. Veja como identificar o problema

Especialista explica como identificar e tratar uma cárie oculta
Especialista explica como identificar e tratar uma cárie oculta - Foto: Shutterstock

Você não pode vê-la, mas ela está lá – e é potencialmente perigosa. Estamos falando da cárie oculta, uma lesão dentária que se forma entre os dentes ou no sulco de dentes do fundo, geralmente onde a escovação e o fio dental não alcançam.

O grande problema da cárie oculta é que ela costuma ser percebida apenas quando está em estado mais avançado. Como não podemos vê-las, podemos apenas sentí-las, quase sempre quando já estão bem desenvolvidas.

Sinais de cáries ocultas

“Os sintomas podem não ser evidentes no início, mas à medida que a cárie progride, pode causar sensibilidade ao calor, frio ou alimentos doces, bem como desconforto ao mastigar. Em estágios avançados, pode causar dor, sensibilidade extrema e até mesmo danos estruturais significativos nos dentes”, explica a Dra. Ilana Marques, odontopediatra da IGM Odontopediatria.

Segundo a especialista, a cárie oculta é comum em pessoas de todas as idades, especialmente aquelas que têm hábitos alimentares cardiogênicos. Isto é, consomem muitos alimentos doces e pegajosos. 

Além disso, o problema é comum em indivíduos que possuem dentes com uma anatomia de fissuras muito profundas e retentivas. “Também ocorre em casos com espaços estreitos entre os dentes, o que dificulta a limpeza adequada com escovação e uso de fio dental”, aponta Ilana. 

Conforme a odontopediatra, ela também pode ser mais prevalente em crianças e adolescentes que estão em fase de desenvolvimento e possuem áreas de contato apertadas entre os dentes permanentes recém-erupcionados.

O risco de se tornar um canal

A cárie oculta pode progredir para uma cárie mais profunda que atinja a polpa do dente, potencialmente necessitando de tratamento de canal, alerta Ilana. 

“A chance é muito grande, mas depende de alguns fatores, incluindo higiene bucal, dieta e genética e além disto o limiar de dor do indivíduo. Se a pessoa for do tipo muito resistente à dor, a doença cárie avança até atingir a polpa dentária e provocar assim o acometimento do nervo. Então haverá necessidade de tratar o canal do dente”, diz a profissional.

Como evitar complicações

Por meio das consultas odontológicas preventivas é possível evitar que uma cárie oculta se torne uma grande complicação. Isso porque o dentista pedirá exames complementares radiológicos que poderão detectar o problema antes dele estar tão avançado, evitando assim o tratamento de canal. 

“É importante consultar um dentista regularmente para prevenir e tratar problemas dentários antes que se agravem. Lembre-se sempre: a prevenção é a melhor solução!”, finaliza Ilana Marques.

Advertisement

Você também vai gostar

Alimentação

Frequentemente confundida com a intolerância ao glúten, a doença celíaca é uma condição autoimune que exige uma série de restrições alimentares

Alimentação

Baixa produção de colágeno interfere na saúde das articulações. Entenda qual o impacto do açúcar nesses casos

Doenças

Rio Grande do Sul registrou ao menos 17 mortes por leptospirose após enchente histórica atingir o estado. Veja os sintomas da condição

Notícias

Chegar “lá” traz benefícios para todo o organismo, o que pode ser estimulado nesse Dia dos Namorados. Veja os impactos do orgasmo na nossa...