Connect with us

O que você está procurando?

Notícias

Homem passa 3 anos sem trocar lentes de contato; veja os riscos

Relato viralizou no TikTok após homem contar que usou o mesmo par de lentes de 2012 a 2015 sem trocá-las uma única vez

Homem passa 3 anos sem trocar lentes de contato; veja os riscos
Homem passa 3 anos sem trocar lentes de contato; veja os riscos - Foto: Shutterstock

Um homem contou através de um vídeo no TikTok que passou três anos utilizando o mesmo par de lentes de contato, sem trocá-lo uma única vez. Na publicação, Doug disse que não tirava nem para dormir ou fazer exames oftalmológicos. Segundo o relato, ele colocou o par em 2012, e não tirou as lentes até 2015.

@catsupwithdoug PSA: Take out your #contactlenses every evening and replace them at the recommended intervals. #storytime #fyp #catsupwithdoug ♬ original sound – Catsup with Doug

O médico oftalmologista do CBV-Hospital de Olhos Dr. Willian Breno alerta que o uso prolongado de lentes de contato pode acarretar em infecções, que podem ser bastante graves e acarretar inclusive perda da visão ou do globo ocular.

“Devemos lembrar que as lentes de contato são corpos estranhos que colocamos em nossos olhos. Elas não devem entrar em contato com água (isso inclui piscinas, praias, saunas e inclusive o banho diário) devido ao risco de infecção por microorganismos como bactérias e amebas”, explica.

Perigo para as córneas

Segundo ele, outro risco associado ao uso prolongado das lentes é a baixa oxigenação para as células da córnea, que chamamos de hipóxia. “Como a lente de contato é uma barreira que colocamos sobre a córnea, ela diminui a oxigenação para este órgão. Por isso, é importante deixarmos diariamente a nossa córnea ‘respirar’ adequadamente”, orienta o profissional. 

Caso isso não ocorra, a hipóxia pode aparecer tanto em uma forma súbita como de forma crônica:

  • Forma súbita: surgem sintomas como vermelhidão, dor ocular e embaçamento visual, que comumente surgem quando alguém acorda após ter dormido com as lentes de contato;
  • Forma crônica: nem sempre gera desconforto perceptível pelo usuário, mas vai a longo prazo causando uma perda de células da córnea, que são importantes para o funcionamento do órgão.

“Por isso, deve-se evitar ao máximo dormir com as lentes, ou usá-las na água. As lentes devem ser higienizadas todas vez que colocamos e retiramos, e sempre com produtos adequados para isso. Além disso, as mesmas devem ser descartadas no prazo correto. E o uso de lentes deve ser sempre acompanhado de visitas periódicas ao seu oftalmologista”, alerta o médico.

Willian lembra que estes riscos são maiores nas lentes gelatinosas do que nas rígidas (ao contrário do que muitos pensam), que são exatamente as utilizadas pela maior parte das pessoas. Isso porque são mais confortáveis e de fácil aquisição. “Exatamente este é mais um motivo para que usuários de lentes tenham bastante cuidado no uso e façam acompanhamento regularmente com seu oftalmologista”, conclui. 

Advertisement

Você também vai gostar

Notícias

O ritmo e a frequência da pulsação fornecem informações sobre a saúde cardíaca. Aprenda a checar em casa

Alimentação

Consumir açúcar refinado aumenta os níveis de gordura no corpo e o risco de desenvolver doenças como diabetes. Saiba como substituir o produto

Dor

15% dos brasileiros sofrem com enxaqueca, condição que pode ser tratada de diferentes formas. Veja quais terapias podem ajudar

Medicamentos

Anfetamina prescrita para TDAH é frequentemente usada como um estimulante. Conheça os riscos do Venvanse