Connect with us

O que você está procurando?

Beleza

Inverno é a melhor época do ano para fazer procedimentos estéticos; entenda

Especialistas explicam como os pacientes podem aproveitar as características do inverno para realizar procedimentos estéticos

Inverno é a melhor época do ano para fazer procedimentos estéticos; entenda
Inverno é a melhor época do ano para fazer procedimentos estéticos; entenda - Foto: Shutterstock

Não existe um momento certo para fazer uma cirurgia plástica, pois uma série de fatores influenciam nessa decisão. Apesar disso, se você pode escolher livremente um período do ano para realizar esse tipo de procedimento, o inverno é uma das melhores opções. 

“No inverno, a exposição solar é menos frequente e os índices de radiação UV são menores. Dessa forma, a recuperação tende a ser um pouco mais rápida e o risco de manchas pós-procedimento diminui. Isso porque essas complicações surgem devido à falta de cuidados do paciente com relação ao sol no período pós-cirúrgico”, explica o cirurgião plástico Dr. Denis Bürguer, membro da Brazilian Association of Plastic Surgeons (BAPS).

Além disso, o clima ameno da estação é outra grande vantagem para a realização de cirurgias plásticas no inverno. “Isso porque as altas temperaturas favorecem o surgimento de inchaço, principalmente em pacientes que já possuem predisposição à retenção de líquidos. Em contrapartida, o clima frio reduz a resposta inflamatória do organismo. Além de diminuir o edema, isso reduz o desconforto pós-operatório na região da cirurgia”, acrescenta Denis.

Os procedimentos que se destacam durante a estação

E praticamente todas as cirurgias plásticas se beneficiam dessas características do inverno. Mas alguns procedimentos são especialmente interessantes para serem realizados nessa estação. É o caso do FaceLift ou lifting facial, visto que, devido a sua posição aparente, o rosto tende a ficar mais exposto ao sol. 

“O lifting facial, quando realizado por meio de uma técnica inovadora conhecida como Deep Plane, permite rejuvenescer sem repuxar a pele, mas sim através da manipulação de estruturas internas, que são esculpidas sem criar aquele temido look operado. Assim, o Deep Plane proporciona um rejuvenescimento mais natural e eficaz, pois trata todas as camadas que apresentam envelhecimento”, explica o cirurgião plástico.

A realização de cirurgias corporais, como a abdominoplastia e a lipoaspiração, também é uma ótima opção no inverno, principalmente para aqueles que desejam se preparar para o verão. “Toda cirurgia plástica tem um período de recuperação para que o resultado final apareça, então é preciso se programar e realizar o procedimento com antecedência para estar totalmente recuperado quando o verão chegar”, diz o especialista. 

Além disso, o clima frio proporciona maior conforto durante o uso de malhas compressivas, que é necessário durante o pós-operatório de muitas cirurgias corporais para ajudar a modelar o corpo e controlar o inchaço após a cirurgia. “Os pacientes utilizam as malhas compressivas da maneira correta quando estão confortáveis, o que contribui para melhores resultados”, afirma o médico.

Tecnologia associada aos diferenciais da estação

No caso da lipoaspiração, é possível facilitar ainda mais a recuperação do paciente ao optar por novas tecnologias, como o Renuvion. Ele é capaz de oferecer resultados de lipoaspiração de baixa, média e alta definição com precisão e segurança.

“Nesse cenário, a tecnologia Renuvion surge como uma solução revolucionária, oferecendo um tratamento minimamente invasivo que combina a energia do plasma de hélio com a radiofrequência”, explica a cirurgiã plástica funcional Cintia Rios. 

“Esse processo resulta em um aquecimento controlado dos tecidos, promovendo a contração e o estímulo do colágeno, melhorando a flacidez da pele e proporcionando um resultado mais firme e definido”, complementa a médica.

Segundo a cirurgiã plástica, a tecnologia permite uma melhora importante na qualidade da pele, com percepção, pela paciente, de menos flacidez e mais firmeza, com resultados mais duradouros quando aliados a um estilo de vida mais saudável.

No vídeo, contamos alguns hábitos que é necessário evitar no inverno.

O inverno também é a melhor época para fazer transplante capilar

Além de procedimentos para o corpo e o rosto, o transplante de cabelo também se beneficia com as características do inverno. Segundo a Dra. Amanda Sodré, especialista em tratamentos capilares avançados, a época é a ideal para realização do método, pois o inchaço na região operada será, além de  menor desconforto com o suor pós-operatório.

Mas não para por aí, durante o inverno há também uma redução dos raios ultravioletas emitidos pelo sol que podem ser problemáticos nessa situação e queimar o couro cabeludo. “Além disso, o clima frio também contribui para a recuperação e diminui o desconforto no pós-operatório”, complementa a especialista. 

Apesar das condições climáticas serem favoráveis na proteção dos folículos capilares, existem algumas recomendações para esse momento no pós-operatório. A profissional destaca:

  • Proteger com um gorro ou chapéu;
  • Se manter hidratado para não ressecar o couro cabeludo, pois pode prejudicar o processo de cicatrização e crescimento saudável;
  • Fazer o uso do protetor solar na área da operação;
  • Evitar coçar ou esfregar o escalpo nos primeiros 30 dias. 

Conforme Amanda, um grande questionamento ao se cogitar fazer o procedimento é se os cabelos transplantados voltam a cair. A especialista explica que, por serem retirados de uma área onde não sofrem a ação do hormônio DHT (responsável pela queda dos fios), eles são fios permanentes.

Advertisement

Você também vai gostar

Notícias

Colocado através de cirurgia, o implante coclear é indicado para pacientes com perda auditiva severa à profunda

Notícias

Compressões na coluna vertebral podem pode afetar a funcionalidade dos nervos, levando a sensação de formigamento nas mãos e nos dedos

Doenças

A sarcopenia diminui a massa muscular, a força e, com isso, a qualidade de vida de pessoas idosas - especialmente as sedentárias

Doenças

Casos de AVC e infarto aumentam entre 20% e 30% respectivamente durante o clima frio. Veja como se proteger no inverno