Connect with us

O que você está procurando?

Doenças

Inverno pode causar caspa? Dermatologista responde

Algumas características do inverno podem contribuir para o surgimento da caspa, mas esse não é o único fator de risco para o problema

Inverno pode causar caspa? Dermatologista responde
Inverno pode causar caspa? Dermatologista responde - Foto: Shutterstock

A Dermatite Seborreica, popularmente conhecida como caspa, é uma condição comum que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Ela se caracteriza por uma inflamação crônica da pele, que pode causar vermelhidão, coceira e descamação não apenas no couro cabeludo, mas também nas sobrancelhas, face e no tórax. Seus sintomas costumam gerar desconforto e frequentemente. 

São diversos os fatores que podem levar ao surgimento da caspa, como uso de produtos no couro cabeludo e má higienização. Muitos acreditam que até mesmo as estações climáticas, como o inverno, por exemplo, têm uma parcela de responsabilidade no aparecimento do problema. Mas será que isso é mesmo verdade? A dermatologista Dra. Juliana Palo esclarece as dúvidas mais comuns sobre o tema.

Como as condições climáticas influenciam o surgimento da caspa?

Segundo a Dra. Juliana Palo, as condições climáticas podem sim representar um papel no aparecimento da caspa, mas elas não são o único fator determinante. “O inverno tende a deixar o couro cabeludo mais ressecado, o que pode contribuir para o aparecimento da caspa. No entanto, outros fatores, como predisposição genética, estresse e hábitos inadequados de higiene, também desempenham um papel importante”, esclarece a especialista.

Dicas para tratar a caspa de maneira eficaz

Conhecendo os causadores da dermatite seborreica, é mais fácil prevenir e tratar o problema. Para te ajudar a se livrar da caspa de maneira definitiva, Juliana indica algumas medidas. Confira:

Mantenha o couro cabeludo limpo: Lave o cabelo regularmente, utilizando produtos adequados para o seu tipo de cabelo e couro cabeludo. Evite o uso excessivo de produtos químicos agressivos e enxágue bem o cabelo para remover completamente os resíduos.

Evite coçar o couro cabeludo: Coçar o couro cabeludo pode piorar a irritação e a inflamação, além de causar feridas. Mantenha as unhas curtas e evite coçar ou esfregar com força.

Use shampoos anticaspa: Opte por shampoos específicos para o tratamento da caspa, que contenham ingredientes como piritionato de zinco, sulfeto de selênio ou cetoconazol. Siga as instruções de uso e sempre consulte um dermatologista para um tratamento efetivo.

Evite estresse excessivo: O estresse pode desencadear ou agravar a caspa. Busque maneiras saudáveis de lidar com o estresse, como exercícios físicos, meditação ou hobbies relaxantes.

Tenha uma alimentação balanceada: Uma dieta equilibrada, rica em nutrientes essenciais, pode ajudar a fortalecer o couro cabeludo e promover a saúde capilar. Consuma alimentos como frutas, vegetais, proteínas magras e ômega-3.

Quando procurar ajuda médica?

Sempre que a caspa estiver severa ou persistente, é importante procurar a ajuda de um dermatologista, destaca a médica. Isso porque eles poderão avaliar se se trata mesmo de caspa ou outros diagnósticos diferenciais, como líquen e lúpus e prescrever tratamentos específicos, como medicamentos tópicos ou orais, dependendo da intensidade.

Embora a caspa possa ser um incômodo, é possível controlar e tratar essa condição com os cuidados adequados. Além disso, lembre-se de que cada pessoa é única  e, portanto, pode ser necessário um tratamento personalizado. Caso a caspa persista ou piore, não hesite em buscar orientação médica.

Advertisement

Você também vai gostar

Notícias

O ritmo e a frequência da pulsação fornecem informações sobre a saúde cardíaca. Aprenda a checar em casa

Alimentação

Consumir açúcar refinado aumenta os níveis de gordura no corpo e o risco de desenvolver doenças como diabetes. Saiba como substituir o produto

Dor

15% dos brasileiros sofrem com enxaqueca, condição que pode ser tratada de diferentes formas. Veja quais terapias podem ajudar

Medicamentos

Anfetamina prescrita para TDAH é frequentemente usada como um estimulante. Conheça os riscos do Venvanse