Connect with us

O que você está procurando?

Doenças

Lipedema ou celulite? Especialista explica as diferenças entre as condições

Com aspectos bastante semelhantes, o lipedema e a celulite são frequentemente confundidos, o que atrapalha o tratamento das condições

Lipedema ou celulite? Especialista explica as diferenças entre as condições
Lipedema ou celulite? Especialista explica as diferenças entre as condições - Foto: Shutterstock

Pernas inchadas, especialmente na região das coxas, e marcas de gordura acumulada: esses são sintomas comuns da celulite, mas que também podem indicar lipedema. Por isso, as duas condições são facilmente confundidas. No entanto, alguns aspectos específicos mostram as diferenças entre um problema e outro.

Lipedema: o que é e quais as causas

De acordo com a Dra. Cristienne Souza, cirurgiã vascular e angiologista da Venous, o lipedema é uma doença crônica do tecido conjuntivo frouxo, que acomete a parte inferior do abdômen, quadris, nádegas e membros inferiores de mulheres.

A condição  envolve um aumento no número e tamanho das células de gordura, inflamação crônica desse tecido, resultando em fibrose e dor.

“Está relacionado a fatores genéticos e hormonais, sendo comum o desenvolvimento da doença junto com modificações corporais que ocorrem durante a puberdade, gestação, menopausa e estresse”, diz a médica.

Dentre os principais sintomas do lipedema, a médica aponta:

  • Desproporção entre tronco e extremidades inferiores;
  • Hematomas;
  • Nodulações palpáveis;
  • Dor e sensibilidade, em até 50% dos casos;
  • Hipermobilidade articular, em até 50% dos casos;
  • Redução da elasticidade da pele;
  • Pode ter edema de mmii (inchaço das pernas) associado.

Celulite: o que é e quais as causas

Já a celulite é o nome popular da lipodistrofia ginóide, que é o depósito de gordura sob a pele. O quadro se caracteriza por deixar a pele com um aspecto ondulado, , tipo “casca de laranja” em algumas áreas do corpo. 

Cristenne destaca que a celulite é bastante comum: afeta cerca de 95% das mulheres após a puberdade, de todas as etnias, embora seja mais comum entre as de pele branca. Além disso, raramente é observada em homens, mas pode ocorrer quando houver algum desequilíbrio hormonal.

Vale destacar que a celulite não é considerada uma doença e também não causa dor. Contudo, é uma preocupação estética importante para um grande número de mulheres.

A causa exata da celulite está definida, mas há diversas teorias quanto ao seu desenvolvimento. A angiologista cita, por exemplo:

  • Hereditariedade;
  • Problemas circulatórios;
  • Alterações hormonais;
  • Estilo de vida (má alimentação, sedentarismo, excesso de toxinas no organismo e problemas emocionais).

Diferenças visuais

Além dos sintomas descritos, é possível diferenciar o lipedema e celulite a partir de alguns aspectos visuais, informa a médica.

O lipedema, por exemplo, causa um aumento desproporcional e simétrico de gordura na parte inferior do corpo, poupando tronco, pés e mãos. Além disso, há ondulações aparentes na pele devido alterações fibróticas progressivas, nódulos palpáveis, livedo reticular, hematomas e pronação (torção) do tornozelo.

Já no caso da celulite, existem diversos graus da condição — desde aquele em que as depressões só aparecem quando se pinça a pele com os dedos ou os músculos se contraem, até o aspecto acolchoado e nodulações sempre visíveis. “Geralmente, caracteriza-se por irregularidades na superfície da pele, formando depressões e elevações, com aspecto de ‘casca de laranja’, como já mencionado”, reforça a Dra. Cristienne.

Tratamento das condições

Conforme a especialista, o tratamento do lipedema visa aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida. Vale destacar que o início precoce do tratamento proporciona melhores resultados.

Medidas gerais incluem:

  • Evitar medicamentos que aumentam edema e/ou que promovem ganho de peso;
  • Exercícios posturais, como treinamento da marcha;
  • Fortalecimento muscular, plano de exercícios físicos, redução da gordura e perda de peso
  • Orientação nutricional e dieta anti-inflamatória.

Além disso, pode ser necessário terapias compressivas e drenagem linfática (se evidenciado acometimento linfático simultâneo).

As opções de tratamento para celulite, por outro lado, incluem procedimentos estéticos, como a terapia de radiofrequência, tratamentos a laser, tecnologias de ondas eletromagnéticas focadas de alta intensidade (como T Sculptor)  e, em alguns casos, cirurgias.

“É preciso ressaltar que nenhum tratamento para celulite e flacidez funciona sem alterações nos hábitos alimentares e no modo de vida. Portanto, é preciso reduzir o consumo de álcool, açúcar e gorduras, manter uma boa hidratação e praticar exercícios físicos que ajudam na redução da gordura corporal e auxiliam para a firmeza para a pele”, destaca a cirurgiã vascular.

Importância do diagnóstico preciso

Cristienne enfatiza que um diagnóstico preciso é crucial para orientar o tratamento adequado. Afinal, o lipedema pode ser subdiagnosticado ou confundido com obesidade, sendo que a dor concomitante e a incapacidade de perder peso pelas medidas usuais podem aumentar a incidência de depressão, ansiedade e transtornos alimentares

“Por isso é tão importante fazer o correto diagnóstico e orientação dessas mulheres. A abordagem terapêutica adequada depende da identificação correta da condição, proporcionando melhores resultados e qualidade de vida para o paciente”, finaliza a médica.

Advertisement

Você também vai gostar

Alimentação

Entenda como uma dieta bem elaborada pode auxiliar o descanso adequado e a recuperação do seu organismo

Notícias

O método Roma IV é a principal forma de identificar constipação em crianças, mas pesquisadores apontam forma mais eficiente

Saúde Mental

Profissional aponta as cinco feridas emocionais mais comuns e sugere formas de lidar com as consequências na vida adulta

Notícias

Neurocientista revela que beijamos muito mais com o cérebro do que com a boca. Entenda o que acontece durante o beijo