Connect with us

O que você está procurando?

Busca

Dor

Médico revela o que causa e como evitar a dor no nervo ciático

A dor no nervo ciático pode ser resultado de uma série de fatores, e acompanhar sintomas distintos além do desconforto

Médico revela o que causa e como evitar a dor no nervo ciático
Médico revela o que causa e como evitar a dor no nervo ciático - Foto: Shutterstock

O nervo ciático é um dos pontos do corpo onde mais se tem relatos de dor. Ele também é o nervo mais longo e espesso do corpo humano: estende-se desde a região lombar, passa pelas nádegas e desce pelas pernas até os pés. Além disso, é formado por várias raízes nervosas que saem da coluna vertebral e se juntam para formar um único nervo, que se estende ao longo das pernas.

O que causa dor no ciático?

Segundo o médico ortopedista do Hospital Icaraí e Hospital e Clínica de São Gonçalo (HCSG), Dr. João Henrique Ali Timo, a  dor intensa associada ao ciático geralmente é causada por uma condição chamada “ciatalgia”. Ela ocorre quando o nervo é comprimido, irritado ou inflamado. Existem várias razões pelas quais o nervo ciático pode ser suscetível a causar dor intensa: 

  • Hérnia de disco: Uma das principais causas de dor ciática é a hérnia de disco. Quando um disco intervertebral se rompe ou se desloca, ele pode pressionar o nervo ciático, resultando em dor ao longo do trajeto do nervo.
  • Estenose espinhal: O estreitamento do canal vertebral, conhecido como estenose espinhal, pode comprimir o nervo ciático à medida que ele sai da coluna vertebral. A condição causa dor e desconforto.
  • Síndrome do Piriforme: O músculo piriforme localizado nas nádegas pode apertar ou irritar o nervo ciático, causando dor irradiada ao longo do nervo.
  • Lesões e traumas: Lesões na região lombar, como quedas ou acidentes automobilísticos, podem afetar o nervo ciático, resultando em dor.
  • Gravidez: O aumento do peso e a pressão sobre os nervos da região pélvica durante a gravidez podem levar à dor ciática.

Sintomas que acompanham a dor

Conforme o especialista, alguns sinais estão associados à dor no nervo ciático. São eles:

  • Dor irradiada: A dor ciática se caracteriza por uma dor aguda, latejante ou ardente que se estende ao longo do trajeto do nervo, da região lombar até a parte posterior da coxa, nádegas e perna.
  • Formigamento e dormência: Sensações de formigamento, dormência ou fraqueza podem acompanhar a dor, afetando áreas ao longo do percurso do nervo.
  • Piora ao sentar ou ficar em pé: A dor geralmente piora ao sentar-se por períodos prolongados ou ao ficar em pé, pois isso aumenta a pressão sobre o nervo.
  • Dificuldade de movimento: A dor ciática pode causar dificuldade em mover a perna afetada, levando a limitações na mobilidade.
  • Dor intensa ao tossir ou espirrar: Movimentos que aumentam a pressão abdominal, como tossir ou espirrar, podem agravar a dor ao comprimir o nervo.

Fatores de risco mais comuns

Alguns grupos estão mais suscetíveis a sofrerem pressão e, por isso, dor no nervo ciático. Dentre eles, o Dr. João Henrique destaca:

  • Idade avançada: À medida que envelhecemos, os discos intervertebrais podem se degenerar e perder a sua capacidade de amortecer eficazmente as vértebras. Por isso, aumenta o risco de pressão sobre o nervo ciático.
  • Estilo de vida sedentário: A falta de atividade física pode enfraquecer os músculos que suportam a coluna vertebral e, dessa forma, contribuir para o desenvolvimento de problemas nas costas, incluindo a compressão do nervo ciático.
  • Obesidade: O excesso de peso coloca pressão adicional sobre os discos intervertebrais e as estruturas da coluna vertebral. Isso, por sua vez, pode aumentar a probabilidade de compressão do nervo ciático.
  • Lesões anteriores: Traumas na coluna vertebral, como quedas, acidentes automobilísticos ou lesões esportivas, podem aumentar o risco de danos ao nervo ciático.
  • Trabalho repetitivo ou carga excessiva: Profissões que envolvem movimentos repetitivos, levantamento de pesos ou posturas inadequadas podem aumentar a pressão sobre a coluna vertebral e, consequentemente, sobre o nervo ciático.
  • Fatores genéticos: Alguns indivíduos podem ter uma predisposição genética para problemas nas costas, incluindo a compressão do nervo ciático.
  • Gravidez: Durante a gravidez, o aumento de peso e as alterações hormonais podem aumentar a pressão sobre os nervos da região pélvica, incluindo o nervo ciático.

Prevenção

Para prevenir ou reduzir o risco de desenvolver dor no nervo ciático, os pacientes podem adotar as seguintes medidas, indica o médico ortopedista:

  • Manter uma postura adequada: Ao sentar, ficar em pé e realizar atividades diárias, é importante manter uma postura adequada para minimizar o estresse na coluna vertebral.
  • Praticar exercícios regulares: A atividade física regular fortalece os músculos das costas e ajuda a manter a flexibilidade da coluna vertebral. Por isso, exercícios de alongamento e fortalecimento podem ser particularmente úteis.
  • Evitar o sedentarismo: Evitar longos períodos de sentado ou inatividade pode ajudar a manter a saúde da coluna vertebral e dos músculos circundantes.
  • Manter um peso saudável: Manter um peso adequado reduz a pressão sobre os discos intervertebrais e minimiza o risco de compressão do nervo ciático.
  • Praticar ergonomia: Ao trabalhar, certificar-se de que a estação de trabalho e as posições de trabalho estejam ergonomicamente corretas para evitar tensões desnecessárias na coluna vertebral.
  • Evitar levantar objetos pesados incorretamente: Ao levantar objetos pesados, usar as técnicas corretas de levantamento pode prevenir lesões nas costas.

Realizar alongamentos: Incorporar rotinas de alongamento regularmente pode melhorar a flexibilidade da coluna

Advertisement

Você também vai gostar

Doenças

Médico aponta que a acupuntura pode trazer benefícios para pacientes com artrite reumatoide, doença intestinal inflamatória e esclerose múltipla

Saúde Mental

Influenciadora recebeu diagnóstico para psicose aguda após desistir do reality show. Entenda as causas e os sintomas do transtorno

Notícias

Assim como escovar os dentes todos os dias, médico otorrino recomenda realizar a lavagem nasal diariamente

Doenças

Com aspectos bastante semelhantes, o lipedema e a celulite são frequentemente confundidos, o que atrapalha o tratamento das condições