Connect with us

O que você está procurando?

Doenças

Médicos ensinam: como manter o colesterol “ruim” longe

O colesterol é essencial para o organismo, mas nem toda gordura é boa. Saiba como equilibrar os níveis adequados e evitar doenças

Médicos ensinam: como manter o colesterol “ruim” longe
Médicos ensinam: como manter o colesterol “ruim” longe - Foto: Shutterstock

O colesterol é um lipídio presente nas células do nosso corpo que desempenha funções vitais, como a formação da membrana celular, síntese de hormônios e produção de vitamina D. Portanto, ele é essencial para o funcionamento do nosso organismo, o problema está em seu excesso.

Ele é transportado por lipoproteínas, sendo os principais o LDL (lipoproteína de baixa densidade) e o HDL (lipoproteína de alta densidade). O HDL seria o colesterol “bom”, e o LDL o colesterol “ruim” – aquele associado à doenças cardiovasculares e outros problemas de saúde.

“Apesar de normalmente existir uma associação negativa do colesterol com a saúde, ele é fundamental para diversas funções orgânicas. No entanto, o problema surge quando há desequilíbrio nos níveis de LDL, o que aumenta o risco de doenças cardiovasculares”, explica o médico cardiologista Dr. Roberto Yano.

Conforme o médico, fatores como uma dieta rica em gorduras saturadas e trans, sedentarismo, obesidade e histórico familiar contribuem para o aumento do colesterol ruim. “Por outro lado, a prática regular de exercício físico, uma alimentação balanceada e a não utilização de tabaco são fundamentais para manter níveis saudáveis de colesterol”, alerta.

Alimentação saudável é fundamental

Para diminuir os níveis de LDL e proteger a saúde cardiovascular, é essencial adotar uma série de hábitos saudáveis. Um exemplo é a melhora na alimentação e a adoção de uma rotina de exercícios físicos regulares.

Roberto destaca a importância de manter uma dieta equilibrada, com redução do consumo de gorduras saturadas e trans. Priorizando, assim, alimentos ricos em fibras, como frutas, verduras, legumes e grãos integrais. Além disso, a prática de atividade física regular é essencial para o controle do colesterol e a manutenção do peso corporal adequado, afirma.

O exercício físico no combate ao colesterol

Segundo a também médica cardiologista Dra. Bruna Miliosi, do Hospital Icaraí (RJ), a prática de exercícios físicos aumenta o colesterol HDL, diminui os triglicerídeos e tem efeitos benéficos em relação ao colesterol LDL (conhecido popularmente como colesterol ruim. 

Conforme orientação da Atualização de da Diretriz Brasileira de Dislipidemia e Prevenção de Aterosclerose, é recomendado a prática de exercícios físicos regularmente, por um período sugerido de 60 minutos. “Porém, temos evidência de que a realização de cerca de 150 minutos de exercícios por semana, já traz benefícios ao nosso organismo”, afirma a especialista. 

A recomendação é que se faça, durante o período de exercício, alongamento, aquecimento, exercício de força e exercício aeróbico. Mas tudo isso deve ser realizado com a orientação de um profissional da área de educação física, destaca Bruna. 

Outras formas de manter o colesterol ruim bem longe

O também médico cardiologista Dr. Rizzieri Gomes aponta outras maneiras de prevenir a saúde vascular e afastar os riscos do colesterol ruim. Confira:

Diminuir o consumo de bebidas alcoólicas: as bebidas alcoólicas consumidas em grande quantidade e com muita frequência são estopins para o aumento do colesterol; 

Evitar fumar: visto que o tabagismo é um dos principais fatores de risco para doenças cardiovasculares;

Hidratar-se: beber água é importante para garantir que tudo funcione bem, ajudando na digestão, facilitando a circulação, fortalecendo os músculos, contribuindo com o cérebro e até mesmo com o funcionamento do coração;

Dormir bem: dormir não é apenas uma necessidade de descanso mental e físico: durante o sono ocorrem vários processos metabólicos que, se alterados, podem afetar o equilíbrio de todo o organismo a curto, médio e, mesmo, a longo prazo.

“Além disso, é fundamental também realizar exames periódicos para monitorar os níveis de colesterol no sangue, especialmente para pessoas com histórico familiar de problemas cardiovasculares. Caso os níveis estejam elevados, o médico poderá prescrever medicamentos específicos para ajudar no controle”, acrescenta o Dr. Roberto Yano.

Para Rizzieri, a busca da mudança do estilo de vida é uma trajetória. “A saúde é algo que não conseguimos mensurar, só percebemos quando a doença bate à nossa porta. As escolhas que fazemos determinam o estado de saúde do nosso corpo e da mente. Equilíbrio é a chave para termos uma vida melhor”, destaca 

O médico ressalta que comer de maneira saudável, praticar atividades físicas e relaxar são elementos essenciais para uma vida melhor. “Quanto mais eu cuido da minha saúde, quanto mais exercício eu pratico, quanto mais eu cuido da alimentação, menor o risco de doenças”, conclui o cardiologista.

Advertisement

Você também vai gostar

Notícias

O ritmo e a frequência da pulsação fornecem informações sobre a saúde cardíaca. Aprenda a checar em casa

Alimentação

Consumir açúcar refinado aumenta os níveis de gordura no corpo e o risco de desenvolver doenças como diabetes. Saiba como substituir o produto

Dor

15% dos brasileiros sofrem com enxaqueca, condição que pode ser tratada de diferentes formas. Veja quais terapias podem ajudar

Medicamentos

Anfetamina prescrita para TDAH é frequentemente usada como um estimulante. Conheça os riscos do Venvanse