Connect with us

O que você está procurando?

Alimentação

Nutricionista dá 4 dicas para aumentar consumo de proteínas; confira

Consumo de proteínas em excesso ou em falta pode acarretar em graves problemas de saúde. Especialista ensina a ingerir níveis adequados

Nutricionista dá 4 dicas para aumentar consumo de proteínas; confira
Nutricionista dá 4 dicas para aumentar consumo de proteínas; confira - Foto: Shutterstock

As proteínas são consideradas a “matéria-prima” do corpo, pois desempenham uma função construtora e regeneradora. Afinal, elas fazem parte da composição de todas as células e tecidos: formam músculos, esqueleto, pele, cabelos e unhas. 

O macronutriente também é constituinte básico de órgãos como coração, pulmão, rins e também do sangue. Além disso, repõe o desgaste natural dos tecidos e formam substâncias vitais para funcionamento e defesa do organismo, como hormônios, enzimas, neurotransmissores e anticorpos, aponta a nutricionista Liz Galvão.

“Hoje, a rotina atarefada da sociedade moderna faz com que muitas pessoas não consumam a quantidade recomendada de proteínas, ingerindo-as em excesso ou em falta. Esse desequilíbrio pode provocar fraqueza muscular, queda de cabelo, alterações na pele, problemas imunológicos, aumento de peso e até mesmo doenças cardiovasculares”, alerta.

A especialista indica que o consumo de proteínas seja fracionado ao longo do seu dia, e não concentrado em apenas uma ou duas refeições. Isso porque, dessa forma, o corpo consegue sintetizar as substâncias de forma mais equilibrada.

4 dicas para aumentar o consumo de proteínas

A nutricionista dá 4 conselhos para incluir proteínas em todas as refeições de forma balanceada e prática. Confira:

1. Fontes diferenciadas

O corpo humano pode obter proteínas a partir de fontes vegetais, como feijões, amendoim, soja, castanhas, espinafre, brócolis, chia, linhaça, aveia, lentilha e por fontes animais, como leite, carnes, ovos, iogurte e queijo. 

Variar o cardápio com opções criativas pode ajudar a incluir proteínas desde as principais refeições, até o lanchinho na hora da correria. Por exemplo: no café da manhã, ovos com queijo e sementes, nos lanches iogurtes com castanhas ou granolas saudáveis, no almoço e jantar carnes com cereais e leguminosas.

2. Planejamento

Planejar com antecedência as refeições é fundamental para o sucesso da alimentação e evita que você fique “comendo qualquer coisa” ou até deixar de comer, o que também não é o ideal.

3. Praticidade

Aposte em lanches proteicos práticos. Sabemos que hoje em dia a maioria das pessoas vive uma rotina intensa, então ter opções que facilitam  ajuda bastante, como os iogurtes e shakes proteicos, produtos cujo segmentos continuam a crescer. É interessante optar por marcas que se preocupem com os ingredientes de boa qualidade e que auxiliam no bem estar.

4. Apoio profissional

Em tempos de informações propagadas na internet, é preciso ficar atento.  Fazer uma dieta por conta própria não é a melhor solução para ter resultados satisfatórios. Procure um nutricionista para te orientar, calcular as suas necessidades individuais de acordo com o seu organismo e objetivos. Ter uma dieta pré-estabelecida e um acompanhamento constante ajuda  a manter a rotina de alimentação e conquistar o bem-estar.

Advertisement

Você também vai gostar

Sem categoria

O glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível no mundo. Entenda a importância do diagnóstico precoce

Saúde Bucal

A cárie oculta costuma surgir em locais onde a escova de dentes e o fio dental não alcançam. Veja como identificar o problema

Beleza

A rinoplastia é uma das cirurgias plásticas mais feitas no Brasil, mas ainda é cercada de muitos mitos e tabus

Dor

Ortopedista aponta que a dor pode surgir no quadril sem percebermos, e irradiar para o joelho, causando bastante desconforto