Connect with us

O que você está procurando?

Doenças

Seu filho faz xixi na cama? Saiba por que punir não é a solução

A enurese noturna, conhecida como xixi na cama, pode causar bastante dor de cabeça aos pais e cuidadores e vergonha para as crianças

Seu filho faz xixi na cama? Saiba por que punir não é a solução
Seu filho faz xixi na cama? Saiba por que punir não é a solução - Foto: Shutterstock

A enurese noturna, mais conhecida como xixi na cama, afeta 10% das crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos. E hoje começa a Semana Mundial do Xixi na Cama (World Bedwetting Week), celebrada de 3 a 9 de junho, com o intuito de reforçar e esclarecer aos pais e cuidadores de que perder urina na cama não é por culpa da criança, mas sim uma condição urológica que precisa de tratamento. 

Causas da enurese noturna

Uma das principais causas da enurese noturna é a hereditariedade. O urologista e secretário-geral da International Children’s Continence Society (ICCS), Ubirajara Barroso Jr., relata que se ambos os pais tiveram esse problema quando crianças, a chance de a criança também apresentar é de 77%. No entanto, outros fatores, como metabolismo e alimentação, também podem influenciar a ocorrência da condição.  

“É importante que os pais estejam conscientes de que a enurese noturna em crianças é causada por um problema urológico e não por preguiça ou rebeldia. Em vez de punição, é essencial que a criança receba acolhimento e que cada noite seca seja celebrada como uma vitória”, diz o médico. 

Punição não é o caminho

Um estudo realizado em Minas Gerais aponta que cerca de 60% das crianças que perdem urina na cama ficam de castigo e 40% apanham. Para o urologista, a punição é prejudicial. Ele alerta que é comum as crianças que sofrem com episódios de xixi na cama sintam vergonha por causa do hábito. 

“Em vez de punição, os pais devem buscar ajuda médica para a criança, a fim de iniciar o tratamento adequado e garantir uma melhor qualidade de vida de toda a família”, explica Barroso Jr., que coordena a disciplina de urologia da Universidade Federal da Bahia.  

Existe tratamento para o xixi na cama

O tratamento do xixi na cama é recomendado para crianças acima de 5 anos, caso o problema esteja interferindo na vida familiar. Já após os 7 anos, o tratamento médico é obrigatório, pois estudos mostram que depois dessa idade começa a haver redução da autoestima e outros problemas emocionais em associação à enurese. Além disso, a chance de a criança recuperar o controle do esfíncter sozinha se torna menor. 

A mudança de hábito sempre será uma grande aliada para o tratamento da enurese noturna. Nesse sentido, Ubirajara faz algumas recomendações:

  • Restringir a ingestão de líquidos pelo menos duas horas antes de dormir;;
  • Evitar alimentos que irritam a bexiga como chocolate e cafeína;
  • Ter uma alimentação noturna com pouco sal;
  • Levar a criança para urinar antes de dormir.  

“Mas não acorde seu filho no meio da noite para urinar. Assim, você não o está ajudando, pois ele deve perceber sozinho que a bexiga está cheia e precisa urinar. Ao acordá-lo, você impede essa percepção”, destaca o urologista. Segundo ele, alguns pacientes podem precisar do uso de medicações que atuam impedindo a produção de muita urina à noite. 

O TENS é uma modalidade fisioterapêutica na qual estimulações elétricas na região sacral vão estimular a área do cérebro a perceber quando a bexiga está cheia. São necessárias cerca de 20 sessões, indica o urologista.

O uso de alarmes noturnos também é eficaz para o controle da enurese noturna. Eles funcionam como um sensor que dispara ao primeiro sinal de urina para acordar a criança para ir ao banheiro fazer xixi.   

Advertisement

Você também vai gostar

Saúde Mental

Professor de yoga ensina 5 exercicios eficazes no combate dos sintomas de ansiedade, bem como de outros problemas de saúde mental

Notícias

Especialista destaca a importância e detalha como é feito o check-up auditivo, quais exames inclui e quando fazer

Fitness

Sexóloga aponta 6 impactos positivos da prática regular de atividade física na saúde e no bem-estar sexual feminino

Beleza

Tanto a pele quanto as unhas exigem cuidados redobrados durante o inverno. Especialista dá dicas de como manter o autocuidado diário