Connect with us

O que você está procurando?

Câncer

Simony revela como descobriu câncer de intestino: “Muita gente não sabe”

Cantora notou um nódulo na virilha e passou por uma colonoscopia, o que foi fundamental para diagnosticar o câncer de intestino

Simony revela como descobriu câncer de intestino: "Muita gente não sabe"
Simony revela como descobriu câncer de intestino: "Muita gente não sabe" - Foto: Reprodução Instagram (@simonycantora)

Em entrevista ao podcast PodSempre, a cantora Simony falou sobre sua trajetória profissional e também sobre o tratamento do câncer do intestino. Ela aproveitou a oportunidade para destacar a importância de realizar os exames de rotina — especialmente a colonoscopia, responsável pelo diagnóstico precoce do tumor.

Como foi a descoberta do câncer de intestino

Simony comentou que sempre se cuidou muito. Antes da pandemia, por exemplo, ela estava em uma rotina fitness rigorosa, com treinos intensos e alimentação saudável. Com o alívio das restrições do isolamento social, a cantora voltou à academia, mas começou a sentir cansaço excessivo. Um dia, enquanto estava tomando banho, percebeu um caroço na virilha esquerda.

Após realizar os procedimentos médicos, a médica solicitou um ultrassom para verificar o caroço na virilha. No entanto, nada de anormal foi encontrado naquele momento. “Porém, a íngua começou a crescer muito e ela doía muito. Aí eu comecei fazer vários outros exames e fui atrás de uma proctologista”, contou durante a entrevista.

Depois de conversar com a médica e passar pelo exame de toque, Simony recebeu a recomendação para passar por uma colonoscopia com urgência no dia seguinte. Com 46 anos de idade, ela ficou surpresa ao descobrir que esse tipo de exame é geralmente indicado para pessoas com mais de 45 anos, e que não estava ciente disso. “Ninguém nunca me falou isso. Muita gente não sabe. Talvez se eu tivesse feito com 45 anos eu teria menos sofrimento em um tratamento”, afirmou.

Após o resultado do exame chegar no celular ela abriu o material, e descobriu que estava com câncer de intestino. “Eu estava tomando uma cerveja em casa e abri o resultado do exame e estava escrito a palavra carcinoma. Na hora, eu pensei que eu ia morrer. Aí eu liguei para minha amiga médica, tirei um print do exame e mandei para ela”, lembra a cantora. “O médico de um paciente oncológico é tudo na vida desse paciente. Ele vai mudar tudo que você vai sentir durante um tratamento tão pesado como é o de câncer”, enfatiza.

Próximos passos

Após realizar outros exames complementares, Simony foi informada de que o câncer não havia se espalhado. No entanto, o tumor já estava em seu corpo há cerca de um ano, e ela só descobriu por conta da íngua e da investigação médica. 

“Caso não tivesse saído essa íngua eu não ia descobrir. Pelo meu intestino, eu sentia que estava um pouco diferente, mas como eu sempre tive problema de intestino eu não prestei muita atenção, porque quando você tem um problema mais grave, você parece que nunca fica esvaziando tudo, toda hora você vai no banheiro”, pontua.

Tratamento do câncer de intestino

A artista foi ao consultório e foi internada no mesmo dia para colocar o cateter que deve ficar durante um ano em seu corpo, no lugar onde recebeu a quimioterapia. “No outro dia eu comecei a quimioterapia, que é um tratamento bem pesado, bem sofrido. A primeira sessão durou 8 horas, a segunda 3 a 4 horas e a terceira 2 horas. A primeira, os primeiros 15 minutos o médico precisa ficar na sala com você e então ele fica lá. Na primeira vez, eu não senti nada e na segunda eu senti um calor horroroso”, pontua. 

Ela lembra que o tratamento, que contou com quimioterapia e radioterapia, impactou completamente a sua vitalidade e disposição. “Eu voltava pra casa e o meu filho de 9 anos me chamava para brincar e eu não tinha força nem pra levantar da cama porque eu ficava muito debilitada”, afirma. “Tinha dias que eu chorava muito, que eu tinha muito medo e é normal, você tem que viver isso”, ressalta a cantora.

A saúde de Simony hoje

Ao finalizar o tratamento com quimioterapia, Simony constatou que o câncer havia diminuído cerca de 50% e que os nódulos já não estavam mais presentes em seu corpo. “Quando a gente passa por uma doença dessa a frase que eu sempre falo é um dia de cada vez porque realmente é um dia de cada vez. A gente tem que viver um dia de cada vez. E aquilo que está na sua cabeça é o mais importante de tudo porque você pode escolher passar por um tratamento desse chorando ou pode passar olhando lá para a frente e mirando na sua cura e passar sorrindo por isso. Eu resolvi passar pelo caminho da cura, pelo caminho da fé, caminho da esperança e de acreditar”, destaca.

Hoje, Simony já encerrou os tratamentos e segue apenas realizando os monitoramentos preventivos.

Advertisement

Você também vai gostar

Notícias

O ritmo e a frequência da pulsação fornecem informações sobre a saúde cardíaca. Aprenda a checar em casa

Alimentação

Consumir açúcar refinado aumenta os níveis de gordura no corpo e o risco de desenvolver doenças como diabetes. Saiba como substituir o produto

Dor

15% dos brasileiros sofrem com enxaqueca, condição que pode ser tratada de diferentes formas. Veja quais terapias podem ajudar

Medicamentos

Anfetamina prescrita para TDAH é frequentemente usada como um estimulante. Conheça os riscos do Venvanse