Connect with us

O que você está procurando?

Alimentação

Alimentação: veja qual quantidade de proteína você deve consumir

A proteína é essencial para proteger a saúde, controlar o peso e garantir um envelhecimento saudável

Alimentação: veja qual quantidade de proteína você deve consumir
Alimentação: veja qual quantidade de proteína você deve consumir - Foto: Shutterstock

A proteína tem ganhado cada vez mais destaque na dieta. Isso é resultado principalmente das novas pesquisas que reforçam a importância do nutriente para o ganho e a manutenção da massa muscular e, consequentemente, para a saúde e o bem-estar, não importa a faixa etária.

“O consumo de proteína aliado a um programa de exercícios de força (musculação) ajuda a prevenir a sarcopenia. A condição, ligada ao envelhecimento, leva à perda natural de massa muscular a partir dos 40 anos. Mas ela também está relacionada a dietas desequilibradas para emagrecimento, com baixa ingestão de proteína e que não contam com o apoio de exercícios”, esclarece o médico nutrólogo Nataniel Viuniski, membro do Conselho para Assuntos de Nutrição da Herbalife.

Além disso, outro ponto que faz desse nutriente um aliado da saúde e do controle de peso é o fato de promover saciedade por mais tempo. Dessa forma, a proteína contribui para uma ingestão menor de calorias ao longo do dia — uma estratégia muito interessante para quem deseja emagrecer.

Qual é a quantidade de proteína ideal para cada pessoa? 

A International Society of Sports Nutrition, entidade que orienta as diretrizes internacionais de nutrição esportiva, coloca que o consumo de proteína diário varia de acordo com o estilo de vida, tipo de exercício praticado e peso de cada pessoa. 

Segundo a organização, quem realiza exercício físico regularmente deve ingerir entre 1,4 a 2,0 g por quilo por dia de proteína, sendo que os praticantes de exercícios de endurance (como maratona e triatlo, por exemplo) devem ingerir níveis no limite inferior dessa faixa.

Já quem faz atividades intermitentes (exercícios que mesclam alta e baixa intensidade, como futebol e vôlei, por exemplo) deve consumir níveis no meio dessa faixa. E, aqueles que praticam exercícios de força/potência (musculação), devem ingerir níveis na extremidade superior desta faixa. 

Para as pessoas que não praticam exercícios, a recomendação fica em torno de 1 g/kg/dia de proteína. Isso porque essa quantidade já é o suficiente para atender bem as necessidades de homens e mulheres adultas.

Por exemplo: Uma pessoa sedentária deve consumir 1 g de proteína por quilo. Portanto, se ela pesa 60 kg, basta multiplicar 1 x 60 para saber que o total de proteína a ser ingerida é de aproximadamente 60 gramas por dia. 

A importância do fracionamento

Vale destacar que, além de adequar a quantidade de proteína das refeições, é interessante que o consumo do nutriente seja fracionado ao longo do dia. Dessa maneira, o organismo aproveita melhor o aporte do nutriente oferecido. 

“Os suplementos proteicos, como whey protein, barra de proteína e os shakes são interessantes e muito práticos para contribuir para uma ingestão adequada do nutriente”, afirma o nutrólogo. 

Para controlar melhor a quantidade de proteína consumida, procure ingerir cerca de 25 g nas principais refeições e 10 g nos lanches. Além disso, consulte a tabela nutricional dos alimentos, pese as proteínas cozidas algumas vezes para se familiarizar com a quantidade que possuem as porções habituais e use um aplicativo que ajuda no controle diário.

Confira a quantidade de proteína de alguns alimentos:

  • 1 ovo: 6g
  • 1 iogurte grego integral (90g): 5g
  • 1 copo de leite integral (200 ml): 5,8g
  • 2 medidas (12g): 8,4g
  • 1 filé de frango (100g): 21g
  • 1 bife de contra-filé (100g): 26,8g
  • 1 posta de salmão (100g): 26g
  • 1 bife de filé mignon (100g): 32,7g
Advertisement

Você também vai gostar

Doenças

Também conhecida como hipertensão, a pressão alta atinge 32,5% da população adulta brasileira, o que representa 36 milhões de pessoas. Além disso, mais de...

Notícias

O ritmo e a frequência da pulsação fornecem informações sobre a saúde cardíaca. Aprenda a checar em casa

Alimentação

Consumir açúcar refinado aumenta os níveis de gordura no corpo e o risco de desenvolver doenças como diabetes. Saiba como substituir o produto

Dor

15% dos brasileiros sofrem com enxaqueca, condição que pode ser tratada de diferentes formas. Veja quais terapias podem ajudar