Connect with us

O que você está procurando?

Busca

Alimentação

BBB: especialistas comentam compulsão alimentar de Yasmin Brunet

Sister tem descontado na comida ansiedade do jogo, e brothers aproveitaram para fazer comentários maldosos. Entenda o que é a compulsão alimentar

BBB: especialistas comentam compulsão alimentar de Yasmin Brunet
BBB: especialistas comentam compulsão alimentar de Yasmin Brunet - Foto: Reprodução Instagram (@yasminbrunet)

Desde que começou o programa, o BBB 24 tem dado o que falar. Um dos assuntos mais comentados da internet é a relação de Yasmin Brunet com a comida. Aliás, isso despertou alguns comentários maldosos por parte dos brothers. A modelo revelou que sofre de compulsão alimentar, fato que foi confirmado por sua mãe aqui fora, Luiza Brunet.

O que é compulsão alimentar?

A compulsão alimentar ocorre quando a pessoa sente necessidade de comer para compensar a ansiedade. De acordo com o Dr. Saulo Ciasca, psiquiatra  e psicoterapeuta, o transtorno se caracteriza por episódios de ingestão de grande quantidade comida em um período curto de tempo. Além disso, há uma importante sensação de falta de controle.

“A pessoa come mais rapidamente que o normal, fica se sentindo desconfortavelmente cheia e pode comer sozinha por vergonha do quanto está comendo. Há uma sensação de remorso, culpa e tristeza após o episódio”, afirma.

Identificando o problema

O profissional destaca que é importante caracterizar bem o episódio de compulsão. Isso porque há pessoas que podem estar se alimentando normalmente, mas dizem que tiveram um ato compulsivo por ter ingerido algum doce, ou ter repetido o prato e comido um pouco mais. 

“Estamos falando aqui de uma perda de controle intensa, em que a pessoa pode até não mais pensar no que está comendo e quanto durante o episódio e depois ‘voltar a si’, tendo consciência do quanto comeu”, diz Saulo. 

Para Phillipe Rios, nutricionista esportivo da Clínica Anavoig, o comportamento de Yasmin Brunet pode ser descrito como compulsão. Isso porque ela não está comendo por apenas estar com fome, mas sim para compensar alguns sentimentos, como por exemplo tédio, ansiedade e tristeza.

Saulo explica que algumas pessoas têm episódios de compulsão alimentar após um tempo de restrição alimentar. “Por exemplo, acorda de manhã e pensa “hoje vou emagrecer”. Fica sem comer o dia todo, e à noite a compulsão é ativada, com grande perda de controle e remorso depois. Acorda no dia seguinte e tenta novamente, criando um ciclo muito ruim e prejudicial para si mesmo”, detalha o especialista.

O que causa a compulsão alimentar

Um dos casos mais comuns para iniciar a compulsão alimentar é quando uma pessoa passa por um momento difícil e traumático na vida. É o caso, por exemplo, da perda de um ente querido ou animação de estimação, um término de uma relação, uma demissão, entre outros casos, aponta Phillipe. “A pessoa começa a descontar os sentimentos em comida, busca achar conforto em alimentos”, diz o nutricionista.

Além disso, dietas restritivas também levam muitos indivíduos a uma compulsão, muitas vezes devido a quantidade de tempo que ficou sem comer (longos jejuns intermitentes) ou dietas low carb com uma quantidade muito baixa de carboidrato. “No caso da Yasmin Brunet, um dos possíveis gatilhos que está levando a compulsão é a pressão que o jogo impõe ao participante”, analisa o profissional.

Tratamento

Segundo o psiquiatra Saulo Ciasca, a compulsão alimentar acomete 1,5 a 5% dos indivíduos no mundo, e é mais frequente entre pessoas com obesidade mórbida (até 15%). Sendo um transtorno compulsivo, é importante o tratamento psicológico e psiquiátrico associados, com psicoterapia cognitivo-comportamental e o uso de medicamentos que irão atuar na compulsão, destaca Saulo. 

“O trabalho multiprofissional com psiquiatra e psicólogo é fundamental para essas pessoas. Além disso, reduzir a culpa associada à alimentação, trabalhar os padrões de corpo da cultura, atuar na autoestima e maior consciência dos estados de fome e saciedade ajudam muito no processo”, destaca.

Conforme o nutricionista Phillipe Rios, a modelo pode tentar consumir alimentos com baixo teor calórico e/ou que possuem mais água em sua composição. É o caso, por exemplo, da melancia, morango e melão. Também é sempre recomendável combinar alimentos fontes de fibras com alguma proteína para aumentar a saciedade.

“As mesmas dicas servem para o pessoal de casa, mas também é importante ressaltar a busca de profissionais qualificados. Em alguns casos é necessário uma equipe multidisciplinar para o tratamento, como psicólogos, nutricionistas, nutrólogos ou médicos do esporte e psiquiatra. A dica é começar pela psicologia, na terapia será identificado a necessidade dos demais profissionais e encaminhado”, recomenda o nutricionista.

Comentários dos brothers atrapalham recuperação da modelo

Enquanto a modelo tem enfrentado problemas com compulsão alimentar, outros participantes do jogo insistem em comentar sobre sua alimentação “exagerada”, como é o caso de Rodriguinho e Nizam, que foi eliminado no último domingo (21).

Em uma situação recente, Yasmin comia um pedaço de bolo na cozinha e percebeu que os brothers estavam olhando para ela. Então, afirmou: “Cara, agora toda vez que eu toco na comida vocês três me olham. É horrível isso”.

Nizam rebateu: “horrível é o quanto você come”. Em seguida, disse que estava apenas brincando com a sister. “A gente te ama Yasmin, não fica assim”, concluiu ele. Rodriguinho, por outro lado, já insinuou que a modelo deveria comer menos e treinar mais.

Para Phillipe, tudo que a Yasmin não precisa são de comentários desse tipo, pois assim ela acaba se sentindo cada vez mais frustrada e acaba sendo mais difícil conseguir controlar o apetite.

“Além disso, pode ela pode acabar desenvolvendo um transtorno de imagem, devido aos comentários e críticas sofridas. Ela pode começar a não se achar mais bonita, achar que está fora ‘dos padrões’. Com isso o quadro de compulsão se agrava cada vez mais, além de outros sentimentos ruins que podem ser desencadeados, como ansiedade e até depressão”, ressalta o especialista.

Como lidar com casos de compulsão

Phillipe aproveita para dar um conselho importante: “A pessoa do seu lado, pode ser uma ‘Yasmin Brunet’ e está por dentro gritando socorro pedindo ajuda. Portanto, evite piadinhas, sobre a alimentação da pessoa e sobre o corpo. Muitas vezes a pessoa que precisa de ajuda até demonstra achar graça das suas piadas, mas por dentro ela está apenas se sentindo mal”, diz o nutricionista.

“Tenha empatia, ajude a pessoa que está ao seu lado precisando de ajuda. Saiba que quanto mais você é próximo de uma pessoa, mais você tem o ‘machucar’ os sentimentos de um ser que precisa apenas de sua ajuda”, reforça.

Advertisement

Você também vai gostar

Insônia

Alguns mitos e desinformações atrapalham a rotina de sono dos recém-nascidos, o que é um desafio para a família e também para o bebê

Alimentação

Especialista em nutrologia explica as diferenças entre a doença celíaca, a intolerância ao glúten e a alergia ao trigo. Saiba os sintomas

Dor

Ortopedista explica que nem sempre uma dor no joelho exige correção cirúrgica. No entanto, em alguns casos o paciente deve passar por cirurgia

Beleza

Dermatologista explica técnica slow care, focada na beleza natural e na saúde integral do paciente