Connect with us

O que você está procurando?

Alimentação

Confira truques para evitar a ressaca nas festas de fim de ano

Endocrinologista explica o que causa a ressaca e revela como se livrar do desconforto gerado pelos excessos. Remédios dificilmente ajudam

Confira truques para evitar a ressaca nas festas de fim de ano
Confira truques para evitar a ressaca nas festas de fim de ano - Foto: Shutterstock

Com tantas festas e confraternizações no fim de ano, é comum a ocorrência de ressaca e disfunções alimentares – consequências dos exageros cometidos à mesa. Para driblar os desconfortos, a médica endocrinologista e metabologista Dra. Paula Pires explica como evitar o mal-estar com alimentação e bebidas adequadas.

O que causa a ressaca?

Segundo a especialista, a ressaca ocorre porque para absorver e metabolizar grande quantidade de bebida alcoólica, o organismo tem de se desdobrar e acaba sobrecarregando outros órgãos no processo. “O fígado sofre mais por produzir as enzimas que ajudam na absorção do álcool. Além disso, demora a entender que deve parar de trabalhar”, explica.

Por isso, quando o álcool já se foi, a concentração dessas enzimas, que são muito tóxicas, ainda é alta, o que gera um desequilíbrio. “O sistema nervoso, que se adequou a esse ritmo errado do corpo, acompanha a crise de abstinência. O resultado geral é dor de cabeça, desidratação, enjoo, diarreia e extremo cansaço”, detalha a médica.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a dose padrão para consumo de bebida alcoólica é de aproximadamente 10 a 12 g de álcool puro. Essa quantidade equivale a uma lata de cerveja ou chopp (330ml), uma taça de vinho (100 ml) ou uma dose de destilado (30 ml). “Bebidas como uísque, vinho tinto, tequila e conhaque causam ressacas piores do que o vinho branco, cerveja ou bebidas claras, como vodca ou gim. Porém, não significa que cerveja ou vodca não provocam ressaca”, alerta.

Cuidados no antes, durante e depois

A médica dá algumas dicas para evitar a ressaca antes, durante e depois das confraternizações. 

Antes:

  • Hidrate-se com antecedência! Dê preferência a água e sucos naturais, de 2 a 3 litros/dia;
  • Evite frituras e alimentos ricos em gorduras; prefira carnes magras;
  • Pratique atividade física, principalmente aeróbica, para aumentar a resistência física.

Durante:

  • Hidrate-se a todo o momento! A transpiração eletrólitos – sódio, potássio, magnésio e cloro;
  • O consumo de álcool deve ser moderado e nunca em jejum; consuma alimentos leves;
  • Fuja das frituras. Além de alto teor de gordura, dão sensação de estômago pesado e moleza.

Depois:

  • Para quem exagerou, vem a ressaca. Repouse, descanse e relaxe;
  • A ingestão de água e suco durante todo o dia diminui o tempo da recuperação;
  • Coma leve, frutas e verduras, e prefira sopas e caldos, evitando alimentos gordurosos.

Estou de ressaca. O que fazer?

“Não há nenhum remédio que cure ou acelere o metabolismo do etanol. De nada adianta: banho frio, café, chás, produtos com cheiro forte ou qualquer outra medicação caseira. O essencial é hidratação, carboidratos e bastante repouso”, aconselha a médica. Geralmente, a ressaca melhora até o final do dia.

A endocrinologista explica que alguns medicamentos podem aliviar os sintomas (analgésicos, antiácidos ou anti-histamínicos). Enquanto que sucos, água-de-coco e isotônicos (sem álcool) repõem água, sais minerais e vitaminas perdidos. Já o refrigerante não hidrata, mas ajuda contra a queda da glicose.

Portanto, tomar medicamentos antirressaca tem pouco fundamento científico. “São drogas que misturam substâncias contra náuseas, analgésicos e cafeína, tentando amenizar alguns dos sintomas. Seu efeito não perdura muito e, além disso, alguns contêm antiinflamatórios ou aspirina, que irritam o estômago. A maioria não age sobre a desidratação, sobre a hipoglicemia, nem sobre a irritação que o acetaldeído provoca nas células“, alerta a especialista.

Paula ressalta ainda que, além de não funcionar bem como prevenção, esses medicamentos podem estimular o indivíduo a beber mais, por sentir-se protegido contra os efeitos do consumo exagerado.

Dicas para prevenir a ressaca

A especialista dá algumas dicas para evitar o desconforto na manhã seguinte à bebedeira:

  • Nunca beba com estômago vazio, pois o álcool cai na corrente sanguínea em 30 min;
  • Tome devagar e sempre depois de ingerir alimentos com proteínas e carboidratos;
  • Uma alternativa é beliscar durante a festa enquanto bebe, pois ajuda a retardar a absorção;
  • Beba muita água antes, durante e depois da festa. É a melhor dica;
  • Toda vez que urinar, beba água, suco, isotônico ou refrigerantes (com açúcar, último caso);
  • Beba muitos líquidos ao acordar e, se não tomar café sempre, evite-o, pois é diurético.

Também é possível evitar o mal-estar gerado por comer em excesso. Confira:

  • Coma carboidratos (frutas, cereais, grãos e massas com dê preferência aos integrais);
  • Tome um café da manhã reforçado (frutas, leite, cereais integrais, iogurte, queijo ou ovo;
  • Não pule refeições ou fique horas sem comer;
  • Beba de 2 a 3 litros de água por dia. Se dificuldade, opte por chás gelados e água de coco;
  • Antes de sair de casa, faça uma boa e saudável refeição para não chegar com muita fome;
  • Para ter energia, prefira comida leve: salada, proteína, leguminosa e carboidrato (batata doce ou inglesa, macarrão, mandioca e arroz) para aguentar a festa toda.
Advertisement

Você também vai gostar

Notícias

O ritmo e a frequência da pulsação fornecem informações sobre a saúde cardíaca. Aprenda a checar em casa

Alimentação

Consumir açúcar refinado aumenta os níveis de gordura no corpo e o risco de desenvolver doenças como diabetes. Saiba como substituir o produto

Dor

15% dos brasileiros sofrem com enxaqueca, condição que pode ser tratada de diferentes formas. Veja quais terapias podem ajudar

Medicamentos

Anfetamina prescrita para TDAH é frequentemente usada como um estimulante. Conheça os riscos do Venvanse