Connect with us

O que você está procurando?

Busca

Saúde Mental

Estresse constante pode acarretar problemas de saúde; entenda

Episódios frequentes de estresse no dia a dia estão associados a problemas como obesidade, doenças cardíacas e hipertensão

Estresse constante pode acarretar problemas de saúde; entenda
Estresse constante pode acarretar problemas de saúde; entenda - Foto: Shutterstock

É fato que o estresse tem uma conotação negativa. No entanto, ele é uma resposta fisiológica comportamental normal do ser humano. Ele surge em resposta a um determinado evento que o faz nos sentirmos ameaçados ou com medo. 

Diversas situações podem ocasionar estresse, tais como problemas de relacionamento; problemas financeiros; sobrecarga de trabalho e chefe hostil; mudanças e nova rotina; incertezas, angústias e até má alimentação, além de sono insuficiente e dores.

A médica especializada em saúde mental, com foco em ansiedade e depressão, Dra. Tamires Cruz, explica que o estresse se torna um problema quando é experimentado com constância por uma pessoa em sua rotina. Não raramente, o quadro acarreta sintomas físicos, emocionais e psicológicos, comportamentais e cognitivos.

O estresse constante tem efeitos na rotina

Entre os sintomas psicológicos do estresse, a médica destaca a baixa autoestima. “Isso pode acontecer principalmente se o indivíduo tem a impressão de que as pessoas ao seu redor têm sucesso em suas carreiras e ele não. Por isso começa a sentir-se muito negativo sobre a vida, e acaba por perder o interesse em seus sonhos ou na busca deles”, afirma. Nesse sentido, de acordo com a Dra. Tamires, o estresse pode levar à depressão, um de seus efeitos mais graves.

Sobre os sintomas emocionais, a profissional afirma que pessoas muito estressadas ficam mais suscetíveis a oscilações de humor, com irritações constantes e também se sentem agitadas e não relaxadas. “Costumam ainda acreditar serem solitárias, mesmo que não sejam, tornando-se assim deprimidas e infelizes”, comenta. 

No que se refere aos efeitos nocivos causados pelo estresse na cognição humana, o mais comum deles, segundo Tamires, é a perda de memória. Aliás, ela pode ser temporária ou de longo prazo. 

“Outro efeito comum é a incapacidade de concentração, que pode prejudicar muito o desempenho em todas as áreas da vida”, comenta. Além disso, ressalta a médica especializada em saúde mental, é comum que estresse baixe o desejo sexual, diminuindo todas as formas de intimidade.

Aumento ou diminuição de apetite, insônia ou excesso de sono, isolamento social, desinteresse nas responsabilidades do trabalho ou mesmo na casa são alguns dos principais sintomas comportamentais causados pelo estresse. Outros sinais recorrentes, de acordo com a médica, são: 

  • Adoção de hábitos nocivos à saúde, como ingerir bebidas alcoólicas e fumar (estratégias de escape);
  • Tomada de decisões irracionais, como comprar um carro quando se tem problemas financeiros;
  • Tornar-se violento.

Impactos na saúde

Quando os níveis de estresse ficam fora de controle eles podem causar diversos prejuízos à saúde física. Tamires cita os principais:

  • Dores agudas ou crônicas;
  • Dores na área do peito;
  • Dores de cabeça;
  • Dores de barriga;
  • Problemas digestivos, como prisão de ventre, constipação e diarreia. 

“Doenças cardíacas também podem derivar do estresse, assim como a obesidade”, destaca a médica. Além disso, segundo ela, o estresse também pode acarretar hipertensão arterial e doenças na pele, como acne.

Como combater o estresse

Diante de um problema com implicações variadas e graves, o estresse precisa ser manejado da melhor maneira possível. “O estresse impede o indivíduo de desfrutar a vida e atingir seus objetivos. Tomar medidas para eliminá-lo é o primeiro passo para viver a vida de maneira mais gratificante”, afirma a Dra. Tamires. 

Desse modo, segundo ela, a primeira medida a se tomar é descobrir a fonte do problema. “A pessoa deve tentar encontrar quando a tensão começou, pois isso irá permitir a ela identificar a causa do estresse e combatê-la”, afirma.

Outro passo importante no alívio do estresse, segundo a médica especialista em saúde mental, é deixar alguém saber pelo que você está passando. “Simplesmente conversar com uma pessoa em que confia, às vezes só para desabafar”, afirma. 

Aprender a gerir o tempo também é uma boa estratégia para se livrar do estresse. “Às vezes podemos ter uma carga de trabalho gerenciável que se torna insuportável devido à má administração do tempo. Assim, podemos encontrar algum alívio do estresse por simplesmente aprendermos a planejar bem o tempo”, comenta a Dra. Tamires.

Nunca ignore o estresse

Já ignorar o estresse é o primeiro passo para não o controlar. Dessa forma, conforme profissional, deve-se prestar atenção nos sinais que o corpo dá e nas mudanças de comportamento. Ao aprender a perceber os sinais de estresse e identificar suas causas, o indivíduo deve procurar evitar as situações estressantes. “Se a pessoa sabe que certos eventos, locais ou até mesmo pessoas a deixam tensas, ela deve evitá-los”, destaca.

A causa do estresse, muitas vezes, se encontra no excesso de tarefas que as pessoas buscam cumprir em sua rotina diária. Nesse sentido, de acordo com a Dra. Tamires, conhecer as próprias limitações e estabelecer metas realistas são duas ótimas formas de evitar a frustração e o estresse de “dar um passo maior que a perna”. 

Por exemplo, evitar ser multitarefa e contar com o apoio de outros também é uma boa saída para conseguir cumprir suas responsabilidades mais tranquilamente. Na correria do dia a dia, para mitigar o cansaço e o estresse, é imprescindível, segundo a médica, estabelecer pausas e aprender a relaxar.

Uma vida mais equilibrada e harmoniosa

Mudanças no estilo de vida também são capazes de diminuir os efeitos do estresse do dia a dia no corpo físico e mental do indivíduo. Nesse sentido, Tamires recomenda a prática de exercícios físicos, dieta baseada em alimentos saudáveis, higiene do sono, práticas de  relaxamento, meditação e yoga. Isso porque adotar comportamentos mais positivos ajudam a aliviar o estresse. 

Por isso, a médica sugere ter bom senso de humor; ser altruísta, oferecendo ajuda aos outros sempre que possível; socializar e evitar o isolamento; ter pensamentos positivos, em suma, ser feliz.   

Por fim, a médica especializada em saúde mental aconselha que a pessoa estressada não hesite nunca em buscar ajuda profissional, principalmente se estiver se sentindo desta maneira por muito tempo. “Nunca é bom ficar guardar seus sentimentos ou emoções negativas apenas para si mesma, pois isso só gera mais estresse. Obter ajuda profissional pode ajudá-la a encontrar a libertação e voltar a viver a vida normalmente”, afirma.

Advertisement

Você também vai gostar

Alimentação

Frutas nativas do Brasil protegem o intestino e previnem doenças como hipertensão, obesidade, diabetes, condições cardiovasculares e câncer

Dor

Ortopedista especialista em coluna aponta oito atitudes que podem ajudar a preservar o principal eixo de sustentação do nosso corpo

Alimentação

A introdução alimentar costuma ser um grande desafio, principalmente quando o bebê apresenta reações alérgicas

Insônia

Alguns mitos e desinformações atrapalham a rotina de sono dos recém-nascidos, o que é um desafio para a família e também para o bebê