Connect with us

O que você está procurando?

Saúde Mental

Hormônios e saúde mental: saiba como um impacta o outro

Os níveis de hormônio no organismo têm relação direta com a sensação de bem-estar e saúde mental. Veja quais os principais

Hormônios e saúde mental: saiba como um impacta o outro
Hormônios e saúde mental: saiba como um impacta o outro - Foto: Shutterstock

Nem sempre as dificuldades que surgem no dia a dia estão relacionadas somente ao nosso bem-estar psicológico. Na verdade, a nossa saúde mental está intimamente ligada às questões hormonais. Isso porque, de certa maneira, os hormônios contribuem para o equilíbrio da saúde como um todo. Por isso, quando os níveis estão alterados, isso pode impactar diversas áreas da vida, causando, inclusive, alguns transtornos.

Muitas vezes, essas alterações acontecem devido a uma determinada fase da vida, uso de medicamentos, anticoncepcionais ou ainda algumas doenças que influenciam na taxa hormonal, como o hipotireoidismo (doença caracterizada pela deficiência de hormônios da tireoide), entre outros fatores. 

“A baixa testosterona em nosso organismo, por exemplo, aumenta o risco de depressão, demência, falta de memória, reduz a massa muscular e massa óssea. Isso pode levar ao aumento de doenças metabólicas, obesidade, alterações de colesterol e doenças cardiovasculares”, a ginecologista e obstetra com visão integrativa da saúde da mulher, Dra. Priscila Pyrrho. 

Segundo ela, os hormônios  promovem sensação de bem-estar e ajudam a manter a saúde do organismo. É o caso, por exemplo, das endorfinas, serotoninas, dopamina e ocitocina, conhecidos como “hormônios da felicidade”. Muitas vezes, é preciso fazer a sua reposição através da ajuda de um médico. 

“Muitas vezes, um problema de saúde mental precisa ser verificado não apenas por um psicólogo ou um psiquiatra, mas também por outros especialistas através de um tratamento de medicina integrativa”, explica Priscila.

Como os hormônios impactam na saúde mental

A médica enumerou a seguir alguns dos benefícios desses hormônios para a nossa saúde mental.Confira:

Endorfina: produzida pela hipófise, age estimulando a sensação de autoestima, prazer, bem-estar, bom-humor, motivação, desejo sexual e felicidade. Além disso, fortalece o sistema imunológico e funciona como analgésico na redução da dor física e do estresse.

Serotonina: hormônio liberado a partir da prática de esportes e também da ingestão de alguns alimentos ricos em triptofano, como abacate, banana, nozes e salmão. Quando há desequilíbrio desse hormônio, é mais comum sentir tristeza e solidão, o que pode desencadear quadros de ansiedade e depressão.

Dopamina: além do envolvimento nas emoções, também age nos processos cognitivos, no controle dos movimentos, na função cardíaca, na capacidade de atenção e no aprendizado. De acordo com estudos, está diretamente relacionada a distúrbios como o Mal de Parkinson ou TDAH (Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade), por exemplo. Apesar de produzida naturalmente pelo organismo, é possível aumentar seus níveis pelo consumo de ovos, peixes, carnes ou feijão.

Ocitocina: esse é conhecido como o hormônio do “amor”. É responsável por sensações reconfortantes e de satisfação, após, por exemplo, receber um abraço. “Junto a outros neurotransmissores, diminui a ansiedade e o estresse em momentos de interações sociais. Em desequilíbrio, causa sensação de cansaço, desânimo e irritação”, finaliza Priscila. 

Advertisement

Você também vai gostar

Doenças

Mais de 65 milhões de pessoas possuem catarata em todo o mundo, a maioria idosos, e a única forma de tratar a condição é...

Notícias

Colocado através de cirurgia, o implante coclear é indicado para pacientes com perda auditiva severa à profunda

Notícias

Compressões na coluna vertebral podem pode afetar a funcionalidade dos nervos, levando a sensação de formigamento nas mãos e nos dedos

Doenças

A sarcopenia diminui a massa muscular, a força e, com isso, a qualidade de vida de pessoas idosas - especialmente as sedentárias