Connect with us

O que você está procurando?

Doenças

Mudar estilo de vida é a primeira forma de prevenir AVC, alerta cardiologista

São diversos os fatores de risco para o AVC, como a pressão alta, a diabetes e o tabagismo, por isso mudar os hábitos é tão importante

Mudar o estilo de vida é a primeira forma de prevenir AVC, alerta cardiologista
Mudar o estilo de vida é a primeira forma de prevenir AVC, alerta cardiologista - Foto: Shutterstock

A pressão alta (hipertensão) é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de um acidente vascular cerebral (AVC), mas há outras condições e hábitos que possuem o mesmo efeito. É o caso, por exemplo, do diabetes, da dislipidemia (colesterol alto) e do tabagismo, indica a médica cardiologista do Hospital Icaraí, Dra. Bruna Miliosse. 

“Todas essas são condições bastante prevalentes da população brasileira, mas que podem e devem ser tratadas e controladas”, explica a médica. 

Mudar o estilo de vida é imprescindível

Bruna alerta que a prevenção começa com mudanças no estilo de vida, o que inclui desde modificações na alimentação (consumo de frutas, verduras e legumes regularmente, evitar produtos ultraprocessados ou que sejam ricos em sal) até a prática de exercícios físicos regulares, como a caminhada, a corrida na praia, a natação, a hidroginástica etc. “Ou seja, ao que a pessoa mais se adaptar. A ideia mais importante é que devemos fugir de uma vida sedentária”, pontua. 

Efeitos do AVC no corpo

O AVC pode acometer áreas diferentes do nosso cérebro, assim como o tamanho da área acometida pode ser diferente de pessoa para pessoa. “Por isso, algumas pessoas podem ficar com sequelas e outras não. Porém, quem apresenta AVC que acomete uma área muito nobre do cérebro ou muito grande, pode ter sequelas irreversíveis e que podem afetar sua qualidade de vida. Por isso, a prevenção dessa doença é tão importante”, destaca a cardiologista.

Segundo a médica, os sintomas do AVC incluem:

  • Dor de cabeça intensa;
  • Alterações motoras (perda de força nos braços e/ou pernas);
  • Alteração de equilíbrio;
  • Alteração na fala e na visão;
  • Confusão;
  • Desmaios;
  • Alteração na mímica facial, dentre outros.
Advertisement

Você também vai gostar

Beleza

O inverno exige mais cuidados com a pele por conta do clima seco e das temperaturas baixas, que causam ressecamento

Alimentação

Nada melhor do que um bom chá para esquentar o corpo e fortalecer a saúde neste inverno. Confira algumas opções

Doenças

As doenças respiratórias estão entre as enfermidades mais comuns durante o inverno. Entenda quais as doenças mais frequentes e como prevenir

Notícias

Estudo mostrou que 88% das pessoas de todo o mundo têm menos vitamina D no corpo do que o recomendado, o que causa diversos...