Connect with us

O que você está procurando?

Doenças

Mulheres e homens podem manifestar infarto de formas diferentes; entenda

Muitos dos sintomas costumam ser comuns aos dois gêneros, as mulheres porém podem não apresentar todos os sinais de infarto

Mulheres e homens podem manifestar infarto de formas diferentes; entenda
Mulheres e homens podem manifestar infarto de formas diferentes; entenda - Foto: Shutterstock

O infarto agudo do miocárdio é a principal causa de mortes no Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, estima-se que ocorram de 300 mil a 400 mil casos anuais no país. Além disso, a cada 5 a 7 casos ocorre um óbito. Por isso é tão importante ter atenção com os sinais dados pelo coração.

No entanto, os sintomas iniciais podem variar de pessoa para pessoa – e principalmente entre gênero. “Mas, na maioria das vezes, começa com uma dor no peito de forte intensidade, que pode se irradiar para o pescoço ou braço esquerdo. Essa dor pode estar acompanhada por falta de ar e sudorese intensa”, explica a Dra. Bruna Miliosse, médica cardiologista do Hospital Icaraí.

Diferente sintomas de infartos entre homens e mulheres

Em alguns casos, a apresentação clínica nas mulheres pode ser menos típica, aponta a especialista. Isso porque elas podem apresentar apenas falta de ar, mal estar, sudorese ou uma dor menos intensa. 

“Por isso é importante procurar auxílio logo que o indivíduo começar a se sentir mal, para que o médico possa avaliar adequadamente o quadro a tempo de se tomar as medidas necessárias para cada quadro”, alerta. 

Bruna reforça que procurar atendimento médico na unidade de saúde mais próxima é de extrema importância durante o quadro de infarto. Afinal, isso pode mudar a evolução da doença. 

Prevenção

Porém, tão importante quanto o socorro rápido é a prevenção. Para prevenir o infarto, é preciso evitar doenças pré-existentes que aumentam o risco da condição aparecer. É o caso, por exemplo, de hipertensão arterial, diabetes mellitus, obesidade e colesterol alto no sangue. 

“Alguns hábitos, como o tabagismo, também aumentam esse risco. Portanto, pessoas com essas doenças ou hábitos têm maiores chances de infartar do que as demais”, adverte a cardiologista.


Além disso, a médica recomenda ainda outros cuidados essenciais com a saúde. Isto é, adotar uma alimentação saudável evitando gorduras e sal em excesso, bem como adotar uma rotina de exercícios físicos e um estilo de vida equilibrado. Assim é possível prevenir episódios cardíacos como o infarto.

Advertisement

Você também vai gostar

Doenças

Também conhecida como hipertensão, a pressão alta atinge 32,5% da população adulta brasileira, o que representa 36 milhões de pessoas. Além disso, mais de...

Notícias

O ritmo e a frequência da pulsação fornecem informações sobre a saúde cardíaca. Aprenda a checar em casa

Alimentação

Consumir açúcar refinado aumenta os níveis de gordura no corpo e o risco de desenvolver doenças como diabetes. Saiba como substituir o produto

Dor

15% dos brasileiros sofrem com enxaqueca, condição que pode ser tratada de diferentes formas. Veja quais terapias podem ajudar