Connect with us

O que você está procurando?

Busca

Câncer

Obesidade é fator de risco para câncer de mama; entenda

Além do câncer de mama, a obesidade é fator de risco para outros 12 tipos de câncer. Veja qual seu impacto na saúde e como prevenir

Obesidade é fator de risco para câncer de mama; entenda
Obesidade é fator de risco para câncer de mama; entenda - Foto: Shutterstock

Durante a campanha Outubro Rosa, é indispensável promover informações acerca dos fatores de risco para o câncer de mama. É o caso, por exemplo, da obesidade, que está diretamente ligada ao risco de desenvolver outros 12 tipos de neoplasias. 

Impacto da obesidade na saúde

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a obesidade é um fator de risco bem estabelecido para diversos tipos de câncer. Os tipos associados à obesidade, considerada uma doença crônica, incluem câncer de mama (principalmente após a menopausa), câncer de ovário, de endométrio, de cólon, de esôfago, de rim, de pâncreas, de fígado, de vesícula biliar, de tireoide, mieloma múltiplo, câncer de estômago e câncer de vesícula biliar.

“Diversos estudos apontam que o excesso de peso corporal está associado a um aumento no risco de desenvolver vários tipos de câncer. Além disso, há outros problemas de saúde como pressão alta, diabetes, gota, asma, aumento de colesterol e dor de cabeça”, explica a médica nutróloga Dra. Andrea Pereira, cofundadora da ONG Obesidade Brasil.

A conscientização sobre essa relação é muito importante entre as mulheres, já que o câncer de mama é um dos tipos mais comuns de câncer entre elas. Portanto, manter um peso corporal saudável, adotar uma dieta equilibrada e praticar atividades físicas regularmente são medidas eficazes para reduzir o risco não apenas do câncer de mama, mas também desses outros tipos de câncer associados à obesidade.

Prevenção

A médica destaca algumas práticas que ajudam na prevenção e tratamento dessas doenças. Confira:

  • Manter um peso corporal saudável;
  • Adotar uma dieta balanceada que prioriza alimentos ricos em nutrientes, como frutas, legumes, grãos integrais e proteínas magras;
  • Diminuir o consumo de alimentos ultraprocessados e ricos em açúcar e gordura;
  • Praticar atividade física regularmente;
  • Evitar o tabagismo;
  • Evitar o consumo de álcool;
  • Realizar os exames de rotina e o autoexame (em qualquer época do ano).

Além disso, a cirurgia bariátrica também está entre os tratamentos para obesidade e, segundo estudos recentes, é um dos caminhos, inclusive, para a diminuição da hipertensão. 

“Com a cirurgia bariátrica conseguimos fazer o tratamento da obesidade aliados a outras medidas, e com o peso controlado, as chances do aparecimento de câncer e outras doenças também são reduzidas”, afirma o cirurgião bariátrico Dr. Carlos Schiavon, Coordenador de Ensino e Pesquisa do Núcleo de Obesidade e Cirurgia Bariátrica da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo e cofundador da ONG Obesidade Brasil.

Advertisement

Você também vai gostar

Alimentação

Frutas nativas do Brasil protegem o intestino e previnem doenças como hipertensão, obesidade, diabetes, condições cardiovasculares e câncer

Dor

Ortopedista especialista em coluna aponta oito atitudes que podem ajudar a preservar o principal eixo de sustentação do nosso corpo

Alimentação

A introdução alimentar costuma ser um grande desafio, principalmente quando o bebê apresenta reações alérgicas

Insônia

Alguns mitos e desinformações atrapalham a rotina de sono dos recém-nascidos, o que é um desafio para a família e também para o bebê