Connect with us

O que você está procurando?

Busca

Notícias

Protetor solar: 7 áreas que você esquece de proteger no dia a dia

Dermatologista revela sete partes do corpo que frequentemente são negligenciadas na hora de passar o protetor solar

Protetor solar: 7 áreas que você esquece de proteger no dia a dia
Protetor solar: 7 áreas que você esquece de proteger no dia a dia - Foto: Shutterstock

Não adianta esperar a chegada do verão ou os dias de sol forte: o correto é passar protetor solar todos os dias. Afinal, estamos falando do maior órgão do corpo humano, e também o mais atingido por neoplasias. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de pele não melanoma é o mais frequente no Brasil, entre homens e mulheres. 

No entanto, mesmo quem utiliza o produto religiosamente todos dias, acaba se esquecendo de proteger algumas áreas do corpo. Pensando nisso, a dermatologista Dra. Ana Maria Pellegrini, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), explica quais são as regiões mais esquecidas e por que elas não devem ser negligenciadas. Confira:

Pálpebras

As pálpebras e também a região dos olhos viraram preocupação mundial pelo aumento da incidência de câncer de pele, que já chega a 10% nessas áreas frequentemente negligenciadas, segundo pesquisa de 2017 da Universidade de Liverpool. O estudo constatou que, ao passar filtro solar no rosto, a tendência é esquecer cerca de 10% da face – incluindo pálpebras e região entre o canto interno do olho e o nariz. 

“Uma proteção solar adequada deve ser feita efetivamente com a cobertura de todo o rosto, além do uso de chapéus e principalmente óculos de sol, já que a área dos olhos tem uma pele extremamente fina e suscetível a danos, inclusive câncer”, explica a dermatologista. 

A profissional lembra que a pele da região dos olhos é muito delicada, e por isso alguns filtros podem causar irritação. Dessa forma, o paciente deve priorizar produtos oftalmologicamente testados, protegendo a área sem correr risco de reação. 

“Mas o dado mais importante para tirar desta pesquisa é a importância de acessórios na proteção solar, como os óculos de sol, que não resguardam apenas os olhos e córneas; eles são importantes para proteger, também, a pele das pálpebras propensas a câncer”, afirma.

Nariz

Tanto a ponta quanto a lateral do nariz não podem ser esquecidas. “Há uma tendência de negligenciar todo o contorno do nariz ou passar rápido demais pela região. Essa é uma área que não podemos economizar e nem esquecer de passar no contorno das narinas. O câncer de pele também pode surgir nessa região”, explica a médica.

Lábios

Os lábios, além de serem constituídos por uma pele muito fina e sem glândulas sebáceas, estão muito expostos à radiação solar. “Quando ocorre câncer de pele nos lábios, em aproximadamente 90% dos casos, ele ocorre no lábio inferior e o tipo mais comum de câncer de pele nos lábios é o carcinoma espinocelular”, alerta Ana. 

Por isso, é importantíssimo aplicar protetor específico para a região dos lábios com FPS 30 ou maior, diariamente, e reaplicar a cada 2 horas ou após comer ou beber, orienta a médica.

Orelhas

Você se lembra da última vez que passou protetor solar nas orelhas? “Essa é uma região muito esquecida, mas que, principalmente para os homens ou mulheres de cabelo curto, é muito exposta. E quando passar o protetor solar, o paciente não deve esquecer de estender a aplicação do produto até a parte de trás da orelha”, destaca a dermatologista.

Pescoço

De acordo com Ana, a pele do pescoço e colo é muito fina e sensível devido à menor quantidade de glândulas sebáceas. Por isso, envelhece mais rápido do que em outras áreas do corpo. 

“Muitos pacientes acreditam que o pescoço é uma área de ‘sombra natural’, mas isso não é verdade. A região também é atingida pela radiação e diversos estudos já apontaram que a areia e a água do mar e da piscina são capazes de refletir a luz solar”, esclarece a médica.

Cotovelo

A área do cotovelo raramente recebe alguma atenção na hora do protetor solar. Segundo Ana, isso ocorre porque os pacientes não costumam envolver o braço como um todo na hora de aplicar o fotoprotetor. E isso é perigoso.

“Isso porque os cotovelos são áreas com poucas glândulas sebáceas, naturalmente mais secas, e mais suscetíveis aos danos ambientais. Como são áreas de dobra e atrito, também são mais propensos a desenvolver manchas”, adverte.

Glúteos

Ao contrário do que muitos podem imaginar, nem sempre o material de sungas, biquínis e maiôs é eficiente para proteger a pele, o que pode deixar as áreas íntimas queimadas, vermelhas e sensíveis. Por isso, os glúteos também devem receber proteção solar.

“A forma certa de aplicar o protetor solar é 30 minutos antes da exposição solar, sem roupa, de maneira uniforme, espalhando bem e evitando acúmulos em algumas áreas. Ele deve ser aplicado em todo corpo”, enfatiza a médica.

Quanto de protetor solar devo passar?

Por fim, a Dra. Ana Maria Pellegrini lembra que, de acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a quantidade de protetor solar indicada para cada parte do corpo é: 

  • Uma colher de chá de protetor solar no rosto, no pescoço e na cabeça;
  • Uma colher de chá de protetor para a parte da frente do tronco e outra para a parte de trás; uma colher de chá para cada braço;
  • E uma colher de chá para a parte da frente de cada perna e outra para a parte de trás de cada perna.
Advertisement

Você também vai gostar

Insônia

Alguns mitos e desinformações atrapalham a rotina de sono dos recém-nascidos, o que é um desafio para a família e também para o bebê

Alimentação

Especialista em nutrologia explica as diferenças entre a doença celíaca, a intolerância ao glúten e a alergia ao trigo. Saiba os sintomas

Dor

Ortopedista explica que nem sempre uma dor no joelho exige correção cirúrgica. No entanto, em alguns casos o paciente deve passar por cirurgia

Beleza

Dermatologista explica técnica slow care, focada na beleza natural e na saúde integral do paciente