Connect with us

O que você está procurando?

Fitness

Você vê a corrida como um escape? Isso pode se tornar um vício

Estudo norueguês mostrou que quem usa a corrida para fugir dos próprios problemas e sentimentos pode se tornar dependente do exercício

Você vê a corrida como um escape? Isso pode se tornar um vício
Você vê a corrida como um escape? Isso pode se tornar um vício - Foto: Shutterstock

Se você usa a corrida como uma forma de escape dos seus problemas e sentimentos, saiba que isso pode se tornar uma dependência. É o que aponta um novo estudo da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia. 

O estudo

A pesquisa, que saiu na revista Frontiers in Psychology, analisou 227 corredores, que praticavam a atividade entre duas a 15 horas por semana. Eles precisaram responder um questionário a respeito do próprio bem-estar, sintomas relacionados ao vício em exercícios e atitudes pessoais em relação às corridas. 

Após a análise das respostas, os pesquisadores concluíram que um em cada quatro corredores demonstrou sinais de dependência em relação à atividade. Os resultados foram analisados com base no quanto os participantes concordavam com as afirmações dos questionários. Para os cientistas, aqueles que concordaram com afirmações do tipo “evito pensar em coisas difíceis” ou “quero fugir de mim mesmo” usam a corrida como forma de escape.

Esses voluntários foram os mesmos que afirmaram não conseguir reduzir o tempo dedicado a exercícios dentro da rotina. Eles também apontaram a preferência por correr em relação a investir mais tempo no convívio com os amigos ou familiares. Por outro lado, os participantes que concordaram com afirmações do tipo “estou cheio de energia e quero transferi-la para outras partes da minha vida”, encaram a relação com a corrida de uma maneira mais positiva.

Apesar de ambas as atitudes terem sido associadas ao vício em exercícios físicos, o grupo que corria como forma de escape mostrou sinais mais fortes de obsessão. Os cientistas notaram também que os corredores motivados pela necessidade de escape têm menos controle sobre suas atividades. Por isso, podem se tornar viciados e, até mesmo, sentir vergonha pela adesão excessiva ao esporte.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a prática de atividade física deve variar de 150 a 300 minutos de duração por semana. Esse é o tempo suficiente e ideal para manter a saúde.

Não é preciso uma corrida longa para impactar a saúde

Mesmo que correr longas distâncias seja uma maneira eficiente de se manter longe dos problemas (ao menos em teoria), é bom evitar excessos e também os vícios. Afinal, não é preciso correr muito para impactar positivamente a sua saúde.

Um estudo feito pela Universidade de Tsukuba, no Japão, revelou que correr 10 minutos por dia, em uma intensidade moderada, já é o suficiente para trazer benefícios ao cérebro. Isso porque esse exercício aumenta o fluxo sanguíneo local no córtex pré-frontal bilateral, o que é extremamente positivo para o bem-estar, pois essa região do cérebro é responsável por controlar o humor e as funções executivas.

Advertisement

Você também vai gostar

Notícias

O ritmo e a frequência da pulsação fornecem informações sobre a saúde cardíaca. Aprenda a checar em casa

Alimentação

Consumir açúcar refinado aumenta os níveis de gordura no corpo e o risco de desenvolver doenças como diabetes. Saiba como substituir o produto

Dor

15% dos brasileiros sofrem com enxaqueca, condição que pode ser tratada de diferentes formas. Veja quais terapias podem ajudar

Medicamentos

Anfetamina prescrita para TDAH é frequentemente usada como um estimulante. Conheça os riscos do Venvanse