Connect with us

O que você está procurando?

Busca

Alimentação

Alimentação responsiva: veja como melhorar a relação da criança com a comida

A OMS sugeriu a alimentação responsiva como uma forma de estimular a autonomia da criança e o respeito dos responsáveis em relação à comida

Alimentação responsiva: saiba como melhorar a relação da criança com a comida
Alimentação responsiva: saiba como melhorar a relação da criança com a comida - Foto: Shutterstock

Comer é indispensável, e é justamente por isso que essa não deve ser uma tarefa chata ou até mesmo desafiadora, nem mesmo para as crianças. Nesse contexto, surgiu a alimentação responsiva. O modelo é uma sugestão da Organização Mundial da Saúde (OMS) e estimula a autonomia da criança e uma parentalidade que respeita os sinais internos de fome e saciedade.

Além disso, a alimentação responsiva reconhece e valoriza o papel dos pais e cuidadores nesse processo de aprendizado de como se relacionar com a comida. O impacto perdura ao longo da vida das crianças. Segundo a entidade, esses fatores contribuem, inclusive, para o controle da obesidade

A alimentação responsiva em 4 pontos

São quatro pontos-chave que caracterizam os princípios da alimentação responsiva. Eles reforçam que o alimento da criança deve ser servido em prato separado, para que quem esteja alimentando-a possa ver a quantidade que ela está ingerindo. São eles:

  1. Alimentar a criança pequena diretamente de forma lenta e pacientemente e encorajá-la a comer, mas não forçá-la;
  2. Se houver muita recusa dos alimentos por parte da criança, experimentar diferentes combinações de alimentos, texturas, gostos e métodos de encorajamento;
  3. Evitar distrações durante as refeições como TV, telas, barulho, brincadeiras em excesso;
  4. Lembrar que a hora da alimentação deve ser um período de aprendizado e amor. Por isso, é importante falar com a criança durante a refeição, manter contato visual e estimular para que ela toque nos alimentos e leve-os à boca.

O que os pais devem evitar

Por outro lado, a alimentação não responsiva aponta um comportamento no qual os pais não se envolvem muito no processo de alimentação dos filhos ou acabam realizando um controle alimentar, que está relacionado à restrição ou pressão para que a criança coma. 

Essas práticas não responsivas podem interromper a resposta da criança à percepção dos seus sinais internos de fome e saciedade e ainda levar à recusa e às dificuldades alimentares, além do descontrole do peso e transtornos alimentares.

“É necessário que se estabeleça entre a criança e o cuidador a alimentação responsiva, visando o desenvolvimento de uma relação de conforto, confiança e competência com os alimentos e com o momento da refeição, baseado em uma conexão entre todos”, explica a fonoaudióloga Dra. Patrícia Junqueira, fundadora e diretora do Instituto de Desenvolvimento Infantil, especialista em avaliação e reabilitação de bebês e crianças com dificuldades alimentares.

3 necessidades que se desenvolvem com a prática

Segundo a profissional, a alimentação responsiva é considerada a melhor prática de alimentação pela Academia Americana de Pediatria e pela Organização Mundial da Saúde. A técnica tem três necessidades fundamentais, explica Patrícia: 

  • Autonomia, que está relacionada ao agir voluntário da criança diante de uma pressão;
  • Competência, ligada aos tipos de alimentos oferecidos e métodos de alimentação que devem estar alinhados com o nível de maturação e desenvolvimento das crianças;
  • Relacionamento, que consiste na própria relação entre pais e filhos, o cuidado, a conexão e a importância das refeições em família.

“Nesse sentido, os pais precisam receber informações com orientações sobre como contribuir com o aprendizado alimentar de seus filhos, promovendo saúde e prevenindo doenças, entre elas a obesidade”, completa a Dra. Patrícia.

Advertisement

Você também vai gostar

Doenças

Médico aponta que a acupuntura pode trazer benefícios para pacientes com artrite reumatoide, doença intestinal inflamatória e esclerose múltipla

Saúde Mental

Influenciadora recebeu diagnóstico para psicose aguda após desistir do reality show. Entenda as causas e os sintomas do transtorno

Notícias

Assim como escovar os dentes todos os dias, médico otorrino recomenda realizar a lavagem nasal diariamente

Doenças

Com aspectos bastante semelhantes, o lipedema e a celulite são frequentemente confundidos, o que atrapalha o tratamento das condições