Connect with us

O que você está procurando?

Notícias

Atenção aos idosos: veja cuidados para evitar acidentes domésticos

Um em cada três idosos sofre uma queda por ano dentro de casa. Em 34% dos casos, a queda provoca alguma fratura

Atenção aos idosos: veja cuidados para evitar acidentes domésticos
Atenção aos idosos: veja cuidados para evitar acidentes domésticos - Foto: Shutterstock

Os acidentes domésticos são mais comuns do que se imagina e podem representar um sério risco para os idosos. Isso porque, nesta fase da vida, devido às mudanças físicas, sensoriais e cognitivas associadas ao envelhecimento, eles ficam mais vulneráveis. Por isso, estão naturalmente, mais propensos a quedas e outras intercorrências no ambiente doméstico.

Recentemente, o humorista Carlos Alberto de Nóbrega, 87 anos, fraturou o fêmur e precisou realizar cirurgia devido a um sangramento interno na cabeça após queda em sua casa de campo.

Risco grande entre idosos

Segundo dados do Ministério da Saúde, um em cada três idosos sofre uma queda por ano, sendo que 34% das quedas provocam algum tipo de fratura. Além disso, somente em 2020, foram contabilizadas mais de 300 mil internações no país em função de acidentes domésticos. 

 O Dr. Lafayette Lage, ortopedista e traumatologista, chama a atenção para a importância de se manter os cuidados com os idosos. Ele explica que, com menos musculatura e outros problemas associados, pessoas nesta faixa etária ficam mais propensas a fraturas.

Além das limitações físicas associadas à idade avançada, existem aspectos psicológicos significativos que devem ser considerados ao lidar com idosos. É o caso de depressão e tendência ao isolamento, desconfiança, irritabilidade, entre outras questões. 

Como prevenir quedas e lesões

Para minimizar os riscos, é importante que os idosos e seus cuidadores estejam atentos a algumas medidas preventivas, conforme aponta o ortopedista:

  • Manter a casa segura: remover tapetes escorregadios, instalar corrimãos em escadas, colocar barras de apoio no banheiro e eliminar obstáculos no caminho podem ajudar a prevenir quedas;
  • Iluminação adequada: manter a casa bem iluminada, especialmente em áreas de passagem pode ajudar os idosos a enxergarem melhor e evitarem acidentes;
  • Uso de equipamentos de segurança: utilizar dispositivos como alarmes de incêndio e barras de segurança em janelas pode reduzir eventuais riscos. Além disso, também é importante o uso de calçados adequados e antiderrapantes em casa. Evitar encerar o piso ou utilizar produtos que deixe o chão escorregadio;
  • Atenção aos medicamentos: é importante seguir corretamente as prescrições médicas e evitar automedicação. Isso porque alguns medicamentos podem causar tonturas e sonolências, aumentando o risco de quedas;
  • Cuidado com objetos cortantes e quentes: manusear facas, panelas e outros objetos afiados ou quentes com cuidados pode prevenir cortes e queimaduras;
  • Permanecer em contato com familiares e amigos: manter-se conectado com familiares, amigos e vizinhos pode garantir que haja ajuda disponível em caso de urgência;
  • Manter a dieta saudável e praticar exercícios físicos: uma alimentação balanceada e a prática regular de exercícios podem ajudar a manter a força muscular e flexibilidade, o que minimiza riscos potenciais de fraturas.

É importante que os idosos e seus cuidadores estejam cientes dessas medidas preventivas e as incorporem em suas rotinas diárias. Assim, é possível garantir um ambiente doméstico mais seguro e evitar acidentes desnecessários.

Além disso, é fundamental que os idosos estejam abertos a pedir e aceitar ajuda quando necessário. Isto é, reconhecendo que algumas tarefas podem ser mais desafiadoras devido ao envelhecimento, destaca o ortopedista.

Advertisement

Você também vai gostar

Alimentação

Entenda como uma dieta bem elaborada pode auxiliar o descanso adequado e a recuperação do seu organismo

Notícias

O método Roma IV é a principal forma de identificar constipação em crianças, mas pesquisadores apontam forma mais eficiente

Saúde Mental

Profissional aponta as cinco feridas emocionais mais comuns e sugere formas de lidar com as consequências na vida adulta

Notícias

Neurocientista revela que beijamos muito mais com o cérebro do que com a boca. Entenda o que acontece durante o beijo