Connect with us

O que você está procurando?

Saúde Mental

BBB: o que fazer durante uma crise de ansiedade como a de Bruno?

O Dr. Saulo Ciasca explica como uma pessoa que presencia uma crise de ansiedade deve prestar socorro. Gaga sofreu um episódio antes do paredão

BBB: o que fazer durante uma crise de ansiedade como a de Bruno?
BBB: o que fazer durante uma crise de ansiedade como a de Bruno? - Foto: Reprodução Instagram (@brunornogueira)

Na última terça-feira (14), saiu o resultado do paredão do Big Brother Brasil, e Paula foi eliminada com 72,5% dos votos. Além dela, Amanda, Guimê e Bruno Gaga também estavam emparedados. Bruno foi o que mais pareceu ter sentido o impacto da possível eliminação. O brother teve uma crise de ansiedade horas antes do programa ir ao ar ao vivo, e precisou ser acalmado pelos colegas de jogo.

Após um papo com Amanda e Aline Wirley no Quarto Deserto, ele começou a gritar e a chorar pela casa. No sofá da sala, Bruno desabou em prantos, e pelo menos cinco sisters, além do Cara de Sapato, o acolheram e tentaram tranquilizá-lo. Em dado momento, o alagoano chegou a questionar onde estava.

Crise de ansiedade

O psiquiatra, psicoterapeuta e professor, Dr. Saulo Ciasca, explica que a crise de ansiedade ocorre quando a pessoa já está ansiosa e já está preocupada excessivamente com alguma coisa. “Por exemplo, se ela tem que fazer uma prova, tem que desempenhar um trabalho novo, concluir um trabalho mais difícil na faculdade. Ela vai ficando ansiosa até chegar em um ponto tão intenso que ela pode ter uma crise de ansiedade, que é o que chamamos de intensificação da ansiedade”, afirma.

Vale destacar que a crise de ansiedade é diferente da crise de pânico. Este episódio se caracteriza por uma crise intensa súbita e muito forte, na qual a pessoa tem palpitações, o que aumenta a frequência respiratória e cardíaca, explica o especialista. “Dá uma sensação de falta de ar, de sufocamento e muito medo. Além de uma sensação muito intensa de que a pessoa está tendo um ataque do coração ou vai morrer”, detalha Saulo. O psiquiatra acrescenta que, no caso da crise de pânico, o episódio surge sem motivação – ou seja, não tem nenhum episódio que desencadeia a crise.

O que pode desencadear uma crise?

O psicoterapeuta aponta que diversos fatores podem desencadear uma crise de ansiedade Geralmente, o evento ocorre quando a pessoa está passando por um estresse a mais, ou está sobrecarregada. “É preciso ver se ela está se sentindo esgotada no trabalho, por conta do excesso de atividade, ou se ela tem uma prova ou um trabalho mais intenso. Também temos que ver se alguma coisa está acontecendo, como conflitos familiares, problemas financeiros e relacionamentos”, destaca o especialista.

De acordo com o médico, os fatores biológicos também influenciam. É preciso saber, por exemplo, se o paciente está com insônia ou se sofreu alguma alteração no apetite. Isso porque a ansiedade pode influenciar na alimentação. O paciente pode começar a comer mais ou comer menos; consumir mais açúcar ou mais carboidrato. “Tudo tem que ser avaliado”, reforça Saulo.

Como acolher alguém que está passando por uma crise de ansiedade?

“Primeiro, não julgue”, ressalta o Dr. Saulo. Segundo o psiquiatra, o próximo passo é tentar tirar a pessoa da situação desencadeante. “Por exemplo, se a pessoa está dentro do cinema fechado e fica ansiosa lá dentro, é preciso tirá-la do local o mais rápido possível”, afirma

Ele aponta ainda que outra coisa que ajuda bastante são exercícios de respiração. “A gente faz um exercício em que a pessoa conta até quatro, inspira, expira em quatro e segura. Esse tipo de exercício faz a pessoa prestar mais atenção na respiração, e menos na ansiedade. Assim, ela vai se acalmando”, orienta o médico.

Saulo destaca também que é importante nunca deixar a pessoa hiperventilar, pois respirar muito rápido aumenta a ansiedade.

Quando procurar ajuda?

O psicoterapeuta afirma que a ansiedade é absolutamente normal ao ser humano. “Sentimos ansiedade porque nos preocupamos com o futuro. É uma forma da gente se preparar para os desafios do futuro, e se organizar para ele. Além disso, a gente se motiva quando sente um pouco de ansiedade”, esclarece. No entanto, uma ansiedade patológica, considerada exagerada, acarreta muitos prejuízos no desempenho e bem-estar do paciente. Por isso, é preciso contar com ajuda profissional o quanto antes.

“É sempre importante pensar que temos que ter uma vida equilibrada. Ou seja, tem que se organizar e tentar reduzir todos os fatores de estresse”, aconselha o psiquiatra. Saulo dá algumas dicas para reduzir os efeitos da ansiedade:

  • Durma bem;
  • Pratique atividade física;
  • Tenha uma alimentação equilibrada, com menos gorduras e carboidratos;
  • Faça meditação.

“Exercícios de meditação mindfulness ajudam muito a se centrar e a estar mais no aqui e agora. Pois a ansiedade faz com que a pessoa fique extremamente preocupada com o futuro e perca a capacidade de viver o presente. Meditar, por outro lado, ajuda muito as pessoas a ficarem mais no presente”, afirma Saulo.

Advertisement

Você também vai gostar

Notícias

Colocado através de cirurgia, o implante coclear é indicado para pacientes com perda auditiva severa à profunda

Notícias

Compressões na coluna vertebral podem pode afetar a funcionalidade dos nervos, levando a sensação de formigamento nas mãos e nos dedos

Doenças

A sarcopenia diminui a massa muscular, a força e, com isso, a qualidade de vida de pessoas idosas - especialmente as sedentárias

Doenças

Casos de AVC e infarto aumentam entre 20% e 30% respectivamente durante o clima frio. Veja como se proteger no inverno