Connect with us

O que você está procurando?

Alimentação

Dieta vegana faz o cabelo cair? Saiba como evitar a queda capilar

Especialista em tricologia explica como a dieta vegana pode impactar na queda dos fios e alerta sobre os cuidados com a alimentação

Dieta vegana pode fazer o cabelo cair? Saiba como evitar a queda capilar
Dieta vegana pode fazer o cabelo cair? Saiba como evitar a queda capilar - Foto: Shutterstock

É muito comum a dieta vegana ou vegetariana ser associada à queda capilar, principalmente porque 85% do cabelo é formado de queratina, que é uma proteína. Por isso, o consumo deste macronutriente é tão importante para cabelos saudáveis. Mas isso significa que toda alimentação vegana causa a queda dos fios? 

A Dra. Jaqueline Zmijevski, dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), explica que depende muito mais dos macros e micronutrientes que o paciente está consumindo do que propriamente se ele é de fonte animal ou vegetal. 

“A proteína é formada por um conjunto de aminoácidos e se não houver sobra de aminoácidos na dieta, não há boa síntese de queratina. Além disso, minerais como ferro e zinco, além de vitaminas do complexo B participam da manutenção da saúde capilar”, explica a especialista, que também é Fellow em Tricologia pela Associação Médica Brasileira (AMB).

Proteínas na dieta vegana

Carnes, peixes, aves e laticínios são as principais fontes de proteína da alimentação. Isso porque eles contam com aminoácidos essenciais, ou seja, aqueles que o corpo não consegue produzir. Além disso, as proteínas das fontes animais têm alto valor biológico, e contemplam todos os aminoácidos indispensáveis ao organismo. No caso das fontes vegetais, elas precisam ser combinadas para garantir esse mesmo efeito.

“Quando pensamos na construção do fio de cabelo, dois aminoácidos essenciais são mais relevantes: a metionina e a lisina. Por isso, a dieta vegana precisa contar com alimentos fontes desses aminoácidos, como feijão, lentilha, brotos, soja, grão de bico, quinoa, amêndoa, nozes e castanha-do-Pará. A tradicional combinação brasileira de feijão com arroz é eficiente. Isso porque garante os dois: o arroz é rico em metionina e deficiente em lisina. Já o feijão é rico em lisina e deficiente em metionina”, explica a dermatologista.

Ferro

Além das proteínas, outro ponto a considerar em dietas veganas é o consumo de ferro. Jaqueline destaca que ele é o mineral mais associado à queda capilar. O ferro está presente em muitos alimentos vegetais. No entanto sua absorção através da fonte vegetal é muito menor do que em comparação com a proteína animal. 

“O ferro de origem animal é até cinco vezes mais absorvido, já que ele está ligado a proteínas. Outro motivo para a dificuldade de absorção do ferro vegetal é a presença de antinutrientes como os fitatos, mas deixá-los de molho entre 8 e 24 horas e o cozimento são estratégias que diminuem a presença de fitatos”, conta a médica.

“Além disso, evitar o consumo de café, chá preto e verde próximo às refeições também otimiza a absorção de ferro. O paciente também pode associar alimentos ricos em Vitamina C, que aumenta a absorção desse mineral”, explica.

Outros nutrientes

A dermatologista destaca que a carência de Vitamina B12 também é uma preocupação associada à dieta vegana, pois as principais fontes deste nutriente são de origem animal. “Nesse caso, suplementos orais ou alimentos enriquecidos podem ajudar. Ambos utilizam vitamina b12 produzida a partir de cultura de bactérias em laboratório”, conta a médica. No caso do zinco, outro nutriente importante para a saúde dos fios, as principais fontes vegetais são: feijão, amendoim, semente de abóbora e grão de bico.

O perigo dos ultraprocessados na dieta vegana

Jaqueline ressalta que uma alimentação equilibrada e natural, com menor consumo de ultraprocessados, também pode ajudar no crescimento dos fios. Ela pede uma atenção especial com esses alimentos e recomenda evitar aqueles alimentos que ‘simulam’ as proteínas de origem animal, mas são feitos com combinação de plantas e aditivos químicos.

“Em sua maioria, eles são considerados alimentos ultraprocessados, com adição de substâncias sintetizadas em laboratório (com corantes, aromatizantes, conservantes e aditivos). Esse processamento é o que torna tais alimentos mais agradáveis ao paladar e similares aos produtos que se propõem a substituir, mas quando consumidos em excesso também podem inflamar o corpo, afetando também a saúde capilar”, finaliza.

Advertisement

Você também vai gostar

Alimentação

Consumir açúcar refinado aumenta os níveis de gordura no corpo e o risco de desenvolver doenças como diabetes. Saiba como substituir o produto

Alimentação

Devido a sua propriedade de vitaminas e nutrientes, o abacate é considerado um superalimento. Por isso, é altamente benéfico para a saúde

Alimentação

A proteína é essencial para proteger a saúde, controlar o peso e garantir um envelhecimento saudável

Alimentação

Os benefícios do mel na dieta, para muitas pessoas, podem parecer óbvios. Afinal, aproveitar o seu sabor adocicado para substituir produtos industrializados, como o...