Connect with us

O que você está procurando?

Alimentação

Engorda ou não engorda? Entenda os efeitos da comida japonesa no corpo

Apesar de saudável, muitos acreditam que a comida japonesa pode atrapalhar a perda de peso. Descubra o que dizem especialistas

Engorda ou não engorda? Entenda os efeitos da comida japonesa no corpo
Engorda ou não engorda? Entenda os efeitos da comida japonesa no corpo - Foto: Shutterstock

Quem está focado em perder peso muitas vezes se vê obrigado a evitar consumir comida japonesa. Isso porque diversas crenças em torno da culinária típica do Japão apontam que seus pratos contribuem para aumentar os números na balança. No entanto, as consequências dizem mais respeito à moderação no consumo do que aos alimentos em si.

Primeiro é preciso entender como as pessoas ganham gordura corporal. E o processo é simples, necessita apenas de um superávit calórico. Ou seja, consumir mais calorias do que se gasta. A partir desse princípio, já é possível dizer que qualquer alimento – saudável ou não – se consumido desenfreadamente pode engordar sim. O que vale, nesse caso, é optar por comidas com menos calorias, para, assim, evitar o acúmulo de gordura.

Afinal, comida japonesa engorda?

“Como qualquer comida, a japonesa pode engordar se for consumida em excesso, sobretudo se considerarmos que há muitas frituras e molhos com alto teor de gordura. Sendo assim, fique atento às quantidades para não exagerar”, orienta a Dra. Lívia Salomé, especialista em clínica médica e estilo de vida.

Segundo a nutricionista Fúlvia Gomes Hazarabedian, quando se está em um restaurante japonês, o controle e as escolhas dos alimentos são fatores decisivos para que exageros sejam evitados. Apostar nos teppans, por exemplo, talvez seja uma boa alternativa. “Pode-se optar pela carne ou peixe, que são proteicos e acompanhados de arroz. O carboidrato deixa o prato completo”, sugere.

Detalhes da culinária japonesa

Outro fator importante, que não pode passar despercebido, são os acompanhamentos e detalhes da culinária japonesa. A quantidade de refrigerante – mesmo que seja zero açúcar – e de shoyu, por exemplo, podem alavancar os índices de sódio da refeição. Por isso, é preciso ter atenção. “O excesso de sódio pode causar desequilíbrios, inchaço e, com isso, o aumento de peso”, comenta a nutricionista.

Também vale ficar de olho nos vegetais e legumes que, durante um rodízio japonês, por exemplo, podem ficar em segundo plano. Além de garantir uma boa concentração de vitaminas e minerais, incluir esses alimentos na refeição pode gerar uma maior sensação de saciedade, sem elevar muito a ingestão calórica.

“A base da alimentação japonesa é arroz e peixes. Sendo assim, a quantidade de vegetais consumidos, principalmente em rodízios, é bem inferior ao que seria saudável e equilibrado para uma refeição completa. Não se pode esquecer dos vegetais, pois são fontes de fibras, vitaminas e minerais”, explica a especialista.

Advertisement

Você também vai gostar

Doenças

Também conhecida como hipertensão, a pressão alta atinge 32,5% da população adulta brasileira, o que representa 36 milhões de pessoas. Além disso, mais de...

Notícias

O ritmo e a frequência da pulsação fornecem informações sobre a saúde cardíaca. Aprenda a checar em casa

Alimentação

Consumir açúcar refinado aumenta os níveis de gordura no corpo e o risco de desenvolver doenças como diabetes. Saiba como substituir o produto

Dor

15% dos brasileiros sofrem com enxaqueca, condição que pode ser tratada de diferentes formas. Veja quais terapias podem ajudar