Connect with us

O que você está procurando?

Notícias

Diabetes e cardiopatias em 500 milhões de pessoas? Saiba como prevenir

Organização Mundial da Saúde aponta que o sedentarismo vai provocar doenças em 500 milhões de pessoas, até 2030

OMS: 500 milhões de pessoas terão cardiopatias e diabetes até 2030
OMS: 500 milhões de pessoas terão cardiopatias e diabetes até 2030 - Foto: Shutterstock

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que cerca de 500 milhões de pessoas terão doenças cardíacas e diabetes até 2030. Além disso, é previsto também o aumento dos casos de obesidade e outras DNTs (doenças não transmissíveis) em decorrência do sedentarismo.

Essas doenças irão gerar um custo em torno de R$ 142 bilhões (27 bilhões de dólares) aos cofres públicos dos 194 países analisados. Aliás, o percentual equivale a mais de R$ 1,5 trilhão até 2030 (300 bilhões de dólares). Os números foram divulgados nesta terça-feira (18) no relatório inédito de status global sobre atividade física 2022, realizado pela OMS.

O Ministério da Saúde estima que, atualmente, 22% da população brasileira está obesa. Além disso, um estudo da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) também apontou que três em cada dez adultos, no Brasil, devem sofrer de obesidade até 2030.

As doenças cardiovasculares, por sua vez, especialmente infarto e AVC (acidente vascular cerebral), já mataram, em 2022, mais de 300 mil brasileiros – uma média de 1.100 pessoas por dia, ou 46 por hora, segundo a SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia).

Além disso, um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) apontou que o isolamento social, causado pela pandemia de Covid-19, contribuiu para o aumento do sedentarismo no país. Isso, por sua vez, está diretamente ligado ao aumento nos casos de diabetes.

A conclusão da pesquisa realizada pela Unesp mostrou que a falta de atividade física pode ser responsável por 9,6% (11,1 milhões) dos casos de diabetes. No entanto, isso pode representar 12,5% (1,7 milhão) da mortalidade geral no mundo, caso essa alta prevalência se mantenha por tempo prolongado.

Prevenção das doenças cardíacas

O Ministério da Saúde destaca a caminhada como uma forma eficiente de manter a saúde do coração. De acordo com a pasta, apenas 30 minutos de caminhada por dia ajuda a:

  • Prevenir ataques e problemas do coração;
  • Controlar a pressão arterial;
  • Reduzir os níveis de colesterol;
  • Tonificar os músculos e fortalecer os ossos;
  • Aumentar os níveis de energia e tirar o máximo proveito de sua vida;
  • Controlar o peso, melhorar o sono;
  • Aumentar o bem estar físico e mental.

Além disso, o ministério também indica 10 passos para afastar as doenças cardíacas. São eles:

  1. Evite fumar;
  2. Diga não à obesidade;
  3. Faça exercícios regularmente;
  4. Controle a pressão arterial;
  5. Escolha bem os alimentos;
  6. Controle o colesterol;
  7. Reduza o stress do dia a dia;
  8. Saiba se é diabético;
  9. Não descuide do lazer;
  10. Consulte seu médico periodicamente.

Prevenção da diabetes

A diabetes, também pode ser evitada com a adoção de hábitos saudáveis. Conforme a Sociedade Brasileira de Diabetes, a prática de exercício físico é uma grande aliada na prevenção. Além disso, outras atitudes podem contribuir, como aponta o Ministério da Saúde. São elas:

  • Comer diariamente verduras, legumes e, pelo menos, três porções de frutas;
  • Reduzir o consumo de sal, açúcar e gorduras;
  • Parar de fumar;
  • Manter o peso controlado. 
Advertisement

Você também vai gostar

Alimentação

Além das pessoas com diabetes, pacientes oncológicos e que fazem hemodiálise também devem tomar cuidado com os pratos de Festa Junina

Alimentação

A dieta low carb pode combater a resistência à insulina e a síndrome metabólica, fatores de risco para diabetes, Alzheimer e outras doenças

Diabetes

A alimentação é um verdadeiro desafio para pacientes com diabetes, seja do tipo 1 ou tipo 2 da doença. Veja as recomendações de especialista

Doenças

Feridas na perna que não cicatrizam rapidamente podem se tornar uma úlcera venosa. Veja os sintomas e riscos